TEFNET

TEFNET

AGRICENTER

AGRICENTER

COMERCIAL JR

COMERCIAL JR

VIP

VIP

RC TECIDOS

RC TECIDOS

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

domingo, 11 de dezembro de 2016

BRASIL É UM DOS PAÍSES COM MAIS MORTES DE POLICIAIS, NO MUNDO.


Nessa edição da coluna Hora da Cidadania, vamos analisar a violência sofrida por policiais, que trabalham para proteger a população e muitas vezes são vítimas da própria violência, que assola nosso país.

Em meio a tantos fatos, iniciamos historiando o assassinato sofrido por um sargento da Polícia Militar de Pernambuco, ocorrido no último sábado (10), na cidade de São Lourenço da Mata. O policial foi vítima de uma tentativa de assalto, e provavelmente ao ser identificado como profissional de segurança pública, acabou sendo vítima de latrocínio.

Durante o ano de 2015, 393 policiais foram assassinados no nosso país, de acordo com o Anuário de Segurança Pública, que é realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Não custa registrar que o policial que milita nas ruas diariamente presta um serviço essencial ao Estado, que não pode ser prestado por nenhum outro servidor que não seja da área da segurança pública e também, conforme registrado está sofrendo com a violência e insegurança que nosso país atravessa.

Proporcionalmente são assassinados mais policiais no Brasil do que nos Estados Unidos, mesmo registre-se, sendo os EUA, um país em que é liberado o porte de arma de fogo, por parte dos cidadãos. Ora sob esse prisma, resta claro que o problema não é de armamento ou não da população, mas pela falta de valorização dos profissionais de segurança pública, falta de equipamento necessário e, principalmente de proteção dos policiais por parte do Estado, sem falar na falta de respeito por parte da sociedade de tão valorosa profissão, que muitas vezes, o cidadão só dá o devido valor, quando sofre na pele essa mesma violência.

A própria grande mídia nacional, dá muito mais valor a uma reação policial, que leva a morte algum indivíduo, que está à margem da sociedade, do que a um assassinato que sofre um policial, que muitas vezes perde a vida, na atividade de proteger à sociedade.


Novamente aguardo a participação dos nossos leitores, que tem nos mandado muitas e interessantes mensagens, que logo estaremos reportando aqui na coluna semanal. Você também pode exercer sua cidadania, comentando nossas colunas e interagindo pelo meu e-mail pessoal: ericklessa04@gmail.com. Fique atento a próxima edição, que é divulgada todas as segundas aqui no blog do Adielson Galvão.