TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CENTRAL BURGUER

CENTRAL BURGUER

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

segunda-feira, 13 de março de 2017

COLUNA A HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA

Resultado de imagem para erick lessa

ESTUPRO E SUAS GRAVES CONSEQUÊNCIAS!

Tivemos a divulgação recentemente do número de estupros registrados no estado de Pernambuco, no ano de 2016, e temos quatro cidades despontando como líderes nesse nefasto e hediondo crime, que traz graves consequências para sua vítima.

Segundo dados da SDS-PE (Secretaria de Defesa Social de Pernambuco), foram registrados 1825 casos de estupro no nosso estado no ano de 2016. Desse total, Recife aparece como líder no número de casos (365 – um por dia), seguido por Jaboatão dos Guararapes (135), Olinda (117), Paulista (72) e Caruaru, com 49 registros.

É preciso ser ressaltado, que no ano corrente (2017) esse número não apresenta sinais de arrefecimento, já que segundo dados também da SDS-PE, apenas no mês de janeiro foram registrados 148 casos de estupro em Pernambuco, chamando atenção das autoridades e da sociedade para refletir sobre essa grande quantidade de ocorrências.

Antes de mais nada, o registro e a busca por socorro por parte das vítimas ainda não chega sequer a 50%, pois na maioria das vezes a mulher se sente constrangida de levar tal fato às autoridades e pedir providências, pois expõe sua intimidade e sua vida privada. Portanto esse número ainda é muito maior do que o que foi efetivamente registrado. Além disso, na maioria dos casos, segundo estudos recentes, as vítimas são adolescentes e mulheres jovens, enquanto que os violentadores são, pessoas próximas, como parentes, falsos amigos da família, vizinho e as vezes, o próprio companheiro, que abusa sexualmente de quem deveria proteger.

O crime de estupro, sem sombra de dúvidas, deixa a mulher com marcas profundas, muito difíceis de serem superadas, já que constrange, com absurda violência, a liberdade sexual da mulher, retirando seu direito mais básico de se relacionar com o companheiro de sua absoluta preferência.

É imperioso que a sociedade tenha ciência desses dados e discuta com seriedade sobre as consequências desse grave crime e se sinta estimulada a não aceitar essa prática, que vem degradando e trazendo graves traumas e muito sofrimento a mulheres, que são submetidas a tamanha violência.

A mulher que tenha sofrido essa violência e às pessoas que tenham conhecimento de um fato dessa natureza, nosso apelo é que seja feita a devida denúncia junto às autoridades para que haja a responsabilização dos agressores.


Fica a reflexão. Fique atento à próxima edição, que é divulgada todas as segundas-feiras aqui no blog do Adielson Galvão.