AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

DAY OFF AGRESTE

DAY OFF AGRESTE

segunda-feira, 12 de março de 2018

COLUNA HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA


CARUARU, CIDADE DO MEDO!

Esse fim de semana o Jornal do Comércio trouxe uma reportagem cujo título foi “A explosão da violência no interior de Pernambuco” relatando como tem sido difícil, em termos de criminalidade, a situação em cidades como São José da Coroa Grande, Cupira, Cabo de Santo Agostinho, e mais uma vez, infelizmente, a nossa querida Caruaru. Nossa cidade desponta como um lugar extremamente violento, que tem como característica dada pela reportagem como “Caruaru virou a capital do medo”.

Ainda de acordo com a reportagem, Caruaru se transformou, segundo moradores da cidade, em capital da violência. Não por acaso, o ano de 2017 bateu recordes históricos de homicídios, chegando a marca, nunca antes imaginada, de 262 registros desse horrendo crime. Para se ter uma ideia, Caruaru só perde em números de homicídios, no estado de Pernambuco, para Recife (que conta com mais de um milhão e meio de habitantes) e Jaboatão dos Guararapes (quase 700 mil habitantes), ficando à frente de cidades mais populosas do que a nossa, como Olinda (aproximadamente 400 mil habitantes). Caruaru tem aproximadamente 360 mil habitantes.

Caruaru tem a média de 74,5 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Se compararmos com o Rio de Janeiro, que está em intervenção federal, em função da violência, aquele estado anota 40 homicídios por 100 mil habitantes. Ou seja, a nossa capital do Agreste está praticamente com o dobro da violência, em relação a um estado que está com o exército nas ruas.

É preciso que a nossa população se indigne e busque junto à gestora municipal, que ela represente os anseios sociais, priorizando essa política pública que é a necessidade número um do nosso país, estado e município, de acordo com recentes pesquisas, que é a segurança pública.

A cidade de Caruaru vive uma gestão pífia, bisonha, sem planejamento e sem sintonizar suas prioridades, com as da população, diante de um cenário, que prejudica a todos, sem exceção, independente da classe social, mas principalmente os mais necessitados e trabalhadores, que vivem num município abandonado pelo poder público.

A questão das políticas públicas de enfrentamento a esse alarmante índice de assassinatos em Caruaru deve ser posta em prática por todos os níveis de poder: União, Estados e Municípios. Não podemos deixar de cobrar do governo de Pernambuco investimentos na área, e isso está acontecendo no município, pois basta mencionar a criação do BIESP (Batalhão Integrado Especializado), com o efetivo de mais de 300 PMs, composto por companhias de policiamento especializado de choque com cães, rádio patrulha, rondas com apoio de motocicletas (Rocam) e policiais com capacitação para atuar no trânsito. 

Além disso, foi criada recentemente a Delegacia de Narcotráfico em Caruaru, bem como novos delegados de polícia civil, escrivães e agentes chegaram em nossa cidade para recompor o efetivo.

Esperamos também que o governo federal comece a investir em ações integradas nos controles das fronteiras da nação, pois, apenas para citar um exemplo, não se tem notícia de produção de cocaína e seus derivados no Brasil, mas ainda assim, em todas as cidades do nosso país, pode-se verificar a presença da droga conhecida como “crack”.

E a prefeitura de Caruaru, o que está fazendo nessa área? Respondo: nada! Já passou da hora de fazer a sua parte e deixar de atribuir a culpa e a responsabilidade de
todas as questões de segurança nos outros. Deveria aplicar investimentos em monitoramento eletrônico, por meio de câmeras, principalmente nas entradas da cidade; aumento significativo do efetivo da Guarda Municipal, equipando esses profissionais, com arma de fogo para guarnecer sua integridade e contribuir no combate à criminalidade; além de iluminar, de verdade, a cidade, com prioridade para a periferia. Não dá para ficar vendendo ilusão pelas redes sociais, muito menos realizar intermináveis reuniões e chamamento à população para contribuir com discussões sobre segurança pública, se não põe em prática as demandas apresentadas pelas sociedade, tão cansada de tanta promessa vazia e sem cumprimento.

Infelizmente, Caruaru perdeu o título de capital da cultura, da arte figurativa, da festa junina, para a capital do medo, além das outras várias notícias negativas, que semanalmente aparecem em nossa cidade, como a abertura de investigação por parte do MPPE para apurar uma série de ilegalidades no pedido de empréstimo de 83 milhões de reais, junto à Caixa Econômica Federal, mesmo o município contando com quase um bilhão de reais de orçamento, por ano. Caruaru transformou-se em cidade destaque internacional, nacional e estadual, pelos problemas que enfrenta, principalmente pela falta de segurança, em função da absoluta incapacidade de gestão.

Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Hora da Cidadania, que é divulgada todas as segundas-feiras. Você pode dar sugestão de temas, fazer críticas e elogios através do e-mail: ericklessa04@gmail.com
CASA DA ESFIHA