AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

DRIVE TOUR BRASIL

DRIVE TOUR BRASIL

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUSA



QUEM IREMOS ESCOLHER?

Nas últimas semanas que antecedem as eleições em nossa nação, podemos observar um verdadeiro “mar ideológico” que divide basicamente o país em “Ele Sim” e “Ele Não”. De um lado eleitores fervorosos que levantam a bandeira de alguém quase que tido como o “Salvador da Pátria” em nome do resgate da moral e bons costumes. Por outro lado, alguém que tenta a todo custo resgatar a popularidade e características que pertenceu a outro presidente, que no momento está inelegível para concorrer ao pleito.

Em uma democracia, é plenamente normal que tenhamos discussões, divergências e aproximações diante de decisões importantes. Eleger pessoas que nos representem é de fato um desafio imensurável, principalmente em um contexto de exaustão na política. Em várias situações podemos observar que prevalecem no cunho dos embates, as paixões políticas e estas, se sobrepõe ao raciocínio lógico. As redes sociais estão tomadas de defesas e ofensas desnecessárias, sem embasamento e pior: sem respeito às escolhas de cada indivíduo que compõe a essa sociedade. Afinal, somos ou não somos uma democracia? Estamos longe de ser.

Diante dessa corrida, muitas vezes estamos por esquecer que tão quanto o voto presidenciável, é de extrema importância que nos preocupemos quais os deputados nas esferas estadual e federal iremos eleger. O poder legislativo é quem trás o fluxo do país, criando leis que irão influenciar diretamente a população. Escolhas ruins de deputados geram o andamento ruim dos municípios e estados.

Que possamos está atentos ao perfil daqueles que se colocam à disposição para nos representar. Algumas perguntas podem nos ajudar em nossa escolha, como: Ele/ela é ficha limpa? Ele/ela tem serviços prestados à sociedade? É alguém que somente surge em período eleitoreiro e eu nunca ouço falar de ações suas compatíveis com sua função? Ele/ela é um político tradicional, de carreira, que está no poder há anos e nada muda? Façamos essas reflexões, pois o voto é o instrumento mais poderoso que temos para transformar nosso meio!

Essa foi minha opinião de mulher de hoje. Participe conosco enviando suas dúvidas, questionamentos e sugestões para dra.nayarasousa@hotmail.com.