AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

terça-feira, 13 de novembro de 2018

OUTUBRO É O 14º MÊS SEGUIDO COM REDUÇÃO DE ROUBOS EM RELAÇÃO AO ANO ANTERIOR



Com 6.968 casos de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs), o mês passado teve incidência menor em 22,3% do que outubro de 2017, o qual havia contabilizado 8.970 roubos. A redução total de janeiro a outubro, por sua vez, é de 23,33%

O quantitativo de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) continuou a cair em Pernambuco em outubro de 2018. Nesses 31 dias, chegaram às polícias 6.968 queixas de diversos tipos de roubo no Estado. É o 14º mês seguido em que as estatísticas se reduziram em relação ao mesmo mês do ano precedente. A queda foi de 22,3%, comparando-se com as 8.970 queixas de outubro de 2017.

No total dos 10 meses de 2018, a diferença é de - 23,33% em relação ao período equivalente do ano anterior. Se em 2017 a soma de janeiro a outubro ultrapassava a casa das 100.000 ocorrências de CVP no Estado, com 104.043 queixas registradas, em 2018 reduziu-se o índice para 79.771 casos de roubo. A queda é uniforme em todas as regiões do Estado, com destaque para o Agreste, onde de janeiro a outubro deste ano deixaram de ocorrer 5.180 assaltos, caindo 27,11% em contraposição a 2017 (de 19.106 para 13.926 ocorrências).

Para o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antonio de Pádua, não restam dúvidas sobre a efetividade que os investimentos realizados em segurança pública têm apresentado. "E continuamos a perseguir índices cada vez mais baixos, pois eles se refletem na maior sensação de segurança para as pessoas nas ruas, em suas casas e nos locais que frequentam. Encerraremos este ano com o maior aporte de recursos já feito na história de Pernambuco no setor da segurança pública, mais de R$ 5 bilhões. Com isso, pudemos fortalecer a área de inteligência, lançamos iniciativas inovadoras como o projeto Koban, em Boa Viagem, e robustecemos as forças-tarefas de prevenção e combate aos roubos a coletivos, cargas e instituições financeiras. Esse trabalho integrado permitiu a prisão de 36.161 criminosos este ano", avaliou.

REGIÕES MAIS SEGURAS - Ao considerar somente o mês de outubro deste ano, o Sertão obteve a maior contenção dos casos de CVP. A variação foi de -36,92%, saindo de 539 queixas em outubro de 2017 para 340. Mas todas as grandes regiões de Pernambuco avançaram. O Agreste teve o segundo melhor desempenho, saindo de 1.702 para 1.088 casos (-36,08%). Em seguida, a Zona da Mata obteve uma diminuição expressiva de 26,93% (de 1.1181 para 863 registros de CVP). Por seu turno, a Região Metropolitana, excetuando-se o Recife, viu o quantitativo de roubos decrescer de 2.698 para 2.149 no mês (-20,35%).
Pela soma de janeiro a outubro, o já citado Agreste teve a maior diminuição, com -27,11%, e desta vez os municípios do Grande Recife (salvo a capital) obtiveram a segunda melhor redução entre as regiões. Nessas 14 cidades, a diferença foi de -23,76%, passando de 31.231 para 23.812 ocorrências de roubo nesses dez meses. A Zona da Mata baixou seu índice em 19,07% (de 12.490 para 10.108 CVPs) e no Sertão, por fim, os números caíram em 18,17% (de 5.548 para 4.540).

As Áreas Integradas de Segurança (AIS) do interior que mais sobressaíram na redução de CVPs em outubro deste ano foram a AIS 26 (Petrolina), com o menor número de ocorrências dos últimos 46 meses (140, maior apenas que dezembro de 2014) e a AIS 14, cuja sede fica em Caruaru. Nessa área, notificaram-se 544 roubos no mês, superando somente março de 2015, 43 meses atrás. Já a AIS 12, que tem como principal município Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, chegou a 245 CVPs, o melhor índice dos últimos 32 meses, apenas ultrapassando fevereiro de 2016.

CAEM ROUBOS NA CAPITAL - O Recife igualmente se destacou no combate aos roubos no período de janeiro a outubro deste ano, no contraste com o intervalo equivalente de 2017. Deixaram de ocorrer na cidade 8.283 crimes violentos desse gênero, o que levou a uma redução de 23,22%. De 35.668 ocorrências, passou-se para 27.385. Examinando-se isoladamente o mês de outubro de 2018, houve uma variação de -11,3% na capital, que saiu de 2.850 em 2017 para 2.528 registros.

Diversas AIS da capital destacaram-se em outubro deste ano no combate aos CVPs. Entre elas a AIS 3, sediada no bairro de Boa Viagem, que teve seu menor número de roubos em 37 meses. Foram 546 ocorrências, superando apenas setembro de 2015. Na área metropolitana, a região do Cabo de Santo Agostinho (AIS 10) vem avançando, com o menor quantitativo de CVPs (222) em um mês desde dezembro de 2014, ou seja, em 46 meses. Paulista (AIS 8) atingiu o menor patamar dos últimos 42 meses, com 473 casos - enquanto a AIS 6 (Jaboatão e Moreno) totalizou 629, o mais baixo índice em 34 meses, acima apenas de dezembro de 2015.

OPERAÇÕES CONTRIBUEM PARA REDUÇÃO - Três operações de controle de CVPs notabilizam-se pela resposta efetiva entre janeiro e outubro de 2018. Somente a Operação Agamenon Magalhães reduziu em 43,8% a incidência desse tipo de crime em sua área de abrangência. Nesse intervalo em 2017, haviam sido notificados 857 roubos, contra 482 este ano.

Já a Operação Boa Viagem teve -28,7% roubos no período, comparando-se com 2017. A queda foi de 3.965 para 2.828 ocorrências. No Centro do Recife, a Operação Cerne contribuiu para refrear o índice de roubos, que variou em -22,1%. De 4.166 casos entre janeiro e outubro de 2017, caiu para 3.245 nesses meses em 2018.

MAIS CELULARES RECUPERADOS - O trabalho integrado das polícias pernambucanas no combate ao roubo de celulares refletiu-se no aumento de 360% no índice de recuperação desses aparelhos em outubro deste ano, em contraste com o de 2017. No mês, as polícias conseguiram reaver 543 telefones móveis. Desde a implementação do programa Alerta Celular, criado pela SDS em março de 2017, recuperaram-se 5.097 aparelhos.

O programa é uma das estratégias utilizadas pelas operativas da SDS para reduzir essa modalidade de roubo, com repercussão positiva nos números: de janeiro a outubro de 2018, o quantitativo de celulares roubados diminuiu em 28% em comparação com o período equivalente em 2017. Passou de 41.872 para 30.298 queixas. Especificamente em outubro de 2018, a queda foi de 26% em relação a outubro de 2017. De 3.686 celulares roubados, caiu para 2.710.

MENOS VEÍCULOS ROUBADOS - Em outubro, Pernambuco alcançou redução de 27,06% no número de queixas por roubo de veículos. Se em 2017 esse mês havia computado 1.530 ocorrências dessa modalidade de CVP, em 2018 diminuiu para 1.116. Além disso, os registros caíram em 22,27% no período de janeiro a outubro - de 16.900 para 13.136.

No caso dos furtos de veículos, que não se enquadram na categoria de Crimes Violentos contra o Patrimônio, também se notou redução. Somente em outubro de 2018, foi de 21,8% (de 532 para 416). Quando se analisa o intervalo de janeiro a outubro, a baixa é de 20,18% (de 5.786 para 4.621).

MAIS SEGURANÇA NO TRANSPORTE DE CARGAS - As ocorrências de roubo de carga apresentaram um patamar 41% menor em outubro deste ano. Em 2017, haviam sido notificadas 56 ocorrências, mas em 2018 foram 33. Nos dez meses já consolidados este ano, a redução é de 17%, passando de 588 para 490 casos.

ROUBOS A COLETIVOS - No acumulado de janeiro a outubro de 2018, as ocorrências de roubos em ônibus diminuíram em 41%. Se em 2017 as polícias tinham contabilizado 1.275 denúncias dessa modalidade criminosa no período, em 2018 notificaram 756. Ao considerar apenas o mês de outubro, houve um aumento de 13,63%: de 66 para 75 casos, o que não impediu um avanço global nos números deste ano. Nesse mesmo mês, 39 pessoas acabaram presas acusadas de roubar passageiros e funcionários em transportes coletivos. Ao todo, foram 240 prisões este ano.

CAEM INVESTIDAS CONTRA BANCOS E CARROS-FORTES - Entre janeiro e outubro deste ano, as investidas consumadas contra agências bancárias, caixas eletrônicos e veículos de transporte de valores diminuíram em 27% em relação ao período equivalente em 2017. De 81 ocorrências, baixou para 59. Por sua vez, o mês de outubro de 2018 apresentou crescimento nessa estatística. Houve cinco casos, contra três em outubro do ano passado. Nesses 31 dias, operações policiais resultaram na prisão de dez acusados de cometer esse tipo de crime. No total, em 2018, 82 pessoas terminaram detidas sob igual acusação.

PRISÕES E APREENSÕES - As polícias de Pernambuco detiveram 36.161 pessoas entre janeiro e outubro de 2018, dos quais 27.914 foram presos em flagrante delito. Outros 3.294 foram alvo de cumprimento de mandados de prisão, enquanto 4.953 adolescentes acabaram autuados por cometerem atos infracionais. No mesmo período, operações policiais resultaram na apreensão de 5.590 armas em todo o Estado. O combate ao tráfico de drogas também teve destaque, com 4.614 apreensões realizadas nesses dez meses.