AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

1ª VAQUEJADA PARQUE FERNANDO LUCENA

1ª VAQUEJADA PARQUE FERNANDO LUCENA

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

HOMICÍDIOS CAEM EM NOVEMBRO PELO 12º MÊS


Com 299 CVLIs, o mês passado teve menos vítimas entre os novembros dos últimos 5 anos, atrás apenas de novembro de 2013 (271), ano de melhores resultados do Pacto pela Vida. Em relação a novembro de 2017, a redução foi de 34,7%. Comparando os 11 meses deste ano, com o mesmo período do ano anterior, a queda foi de 23%, o que representa 1.170 vidas salvas


Com mais uma queda em relação ao ano anterior, novembro de 2018 consolidou um ciclo de 12 meses consecutivos de redução de homicídios em Pernambuco. Ao todo, no mês passado, foram 299 casos registrados de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), o que representa uma queda de 34,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 456 mortes haviam sido notificadas. Ontem, na divulgação dos dados de Crimes contra o Patrimônio, o Estado chegou ao 15º mês de declínio em todas as modalidades de roubos.

A diminuição dos CVLIs se verificou significativa também quando se compara todo o ano de 2018 até 30 de novembro, em relação ao mesmo período de 2017: 23%. No total, foram 3.862 crimes do tipo registrados neste ano, contra 5.032 notificados no mesmo período do ano passado. Ou seja, 1.170 homicídios a menos.

“Novembro foi o segundo mês, em uma série histórica de 38 meses, com número de CVLIs abaixo de 300. O outro mês foi agosto de 2018, com 287 CVLIs. Isso é consequência de um trabalho que reprimiu os crimes contra a vida de uma forma consistente. Da casa dos 500, há apenas 1 ano e meio (março de 2017, com 551 mortes), chegamos a praticamente metade disso. Também destacamos que a que a redução de 34,7% é o maior percentual de queda, na comparação de um mês com o mesmo do ano anterior, já registrado em toda a era do Pacto pela Vida. Não comemoramos, de forma alguma, pois nosso objetivo é preservar todas as vidas.  Estamos fortalecendo as investigações,  planejando o policiamento ostensivo em todas as áreas integradas de segurança e abrindo novos serviços, a partir de investimentos importantes feitos pelo Governo de Pernambuco. Na próxima semana, por exemplo, inauguraremos o Complexo de Polícia Científica de Palmares, levando para a Mata Sul uma grade de exames e perícias fundamentais para a elucidação de diversos crimes”, diz o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

QUEDA DO LITORAL AO SERTÃO – A consolidação da queda dos CVLI engloba todas as Regiões do Estado. Especificamente no mês de novembro, a maior redução foi sentida no Sertão, que registrou uma queda de 55,93% nos casos de homicídios. Ao todo, foram registradas 26 mortes neste mês, contra 59 casos no mesmo período do ano passado.

“No Sertão, a queda é reflexo direto dos investimentos que o Governo do Estado vem realizando na Região, como a instalação do 2º BIEsp, em Petrolina, e da Companhia Independente da PM em Araripina. Com isso, a Área Integrada de Segurança 26 (AIS 26), com sede em Petrolina, teve o menor número de homicídios desde maio de 2014, sem contar a AIS 22, com sede em Floresta, que registrou apenas um homicídio no mês, atingido o menor patamar de todo o Pacto pela Vida”, comentou o secretário.

Esse cenário foi repetido pelas demais regiões. No mês passado, a Região Metropolitana (exceto capital) teve menos 44,44% CVLIs, saindo de 126 para 70 vítimas – sendo, portanto, o menor número desde setembro de 2015. Já na Zona da Mata, a queda foi de 36,90% (de 84 para 53), enquanto o Agreste passou de 127 para 96 casos (-24,41%). Quando se avaliam os 11 meses consolidados, o Agreste lidera a queda dos casos, apresentado retração de 31,42% (de 1.321 para 906). Em seguida, aparece a Região Metropolitana (exceto capital) que apresentou uma diferença para baixo de 20,14% (1.450 para 1.158). A Zona da Mata caiu de 960 para 780 (-18,75%). Por fim, o Sertão registrou decréscimo de 17,89%, saindo de 570 ocorrências para 468.

CAPITAL - No Recife, a redução dos homicídios em novembro atingiu a marca de 10%. No total, foram 54 crimes do tipo registrados em todo o mês, contra 60 notificados no mesmo período do ano passado. Já no compilado do ano, a retração dos CVLIs na Capital do Estado atingiu o número de 24,76%, caindo de 731 para 550 ocorrências.

CVLI ZERO - Em novembro, 86 municípios, mais Fernando de Noronha, não tiveram nenhum homicídio (confira a lista completa abaixo).  Considerando o ano de 2018, de 1º de janeiro até 30 de novembro, não ocorreu CVLI em 9 localidades: Brejinho, Calumbi, Ibirajuba, Itacuruba, Quixaba, Salgadinho, Santa Cruz e Serrita, além do distrito de Fernando de Noronha.

MOTIVAÇÃO – Em Pernambuco, os CVLI estão diretamente ligados a atividades criminosas. Dos 299 homicídios registrados em novembro, 69,23% foram motivados por envolvimento com o tráfico de drogas, acerto de contas ou outras atividades criminais. Em seguida, a causa mais frequente foram os conflitos na comunidade, com 53 casos (17,73%). Conflitos afetivos e familiares tiveram relação com 12 casos (4,01%), excluindo-se daí os feminicídios. Latrocínios foram 2,01% das motivações, seis casos ao todo.

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER – As vítimas de feminicídio, assassinadas apenas pelo fato de serem mulheres, foram 71 de janeiro a novembro deste ano. Um patamar 3% maior do que no mesmo período de 2017 (69 vítimas). No mês de novembro, foi registrado um aumento de 50% em relação ao mesmo período do ano anterior, saindo de quatro para seis ocorrências.

“A partir do decreto do governador Paulo Câmara,  assinado em setembro de 2017, que instituiu o termo feminicídio nos boletins de ocorrência, iniciamos um processo de capacitação e normatização da tipificação deste crime nos inquéritos policiais. Estamos buscando a qualificação da notificação deste crime bárbaro e a aplicação da justa penalidade. Em paralelo, estamos ampliado a rede de delegacias da Mulher, como ocorreu este ano, com as inaugurações de unidades no Cabo de Santo Agostinho e em Afogados da Ingazeira”, explica o secretário, recomendando às mulheres vítimas de violência doméstica e ameaças que procurem uma unidade policial. “As estatísticas mostram que os xingamentos e agressões avançam e, sem a atuação policial, a mulher está correndo perigo e pode se tornar uma vítima de feminicídio. Como as situações de violência geralmente ocorrem em casa, em círculos mais restritos, amigos e vizinhos podem auxiliar a segurança pública nessa corrente de proteção às mulheres.”

As estatísticas mostram que, em novembro de 2018, houve uma maior procura das mulheres por ajuda policial. O crescimento de mulheres que se dirigiram às delegacias e denunciaram ter sofrido violência doméstica e familiar em relação ao mesmo mês de 2017 foi de 6,36%: de 3.001 para 3.192 queixas. Entre janeiro e novembro, as notificações subiram em 19,32%: de 30.433 para 36.314.

Já as queixas de estupros às polícias tiveram uma redução de 19,47% em novembro, quando comparadas com as notificações no mesmo período de 2017. De 226 vítimas, o número caiu para 182. No entanto, no acumulado deste ano até novembro, houve aumento de 8,29% (de 2.160 para 2.339).

Em novembro, 86 municípios e Fernando de Noronha não tiveram registro de CVLI. Confira a lista abaixo:

Afogados da Ingazeira; Afrânio; Agrestina; Alagoinha; Angelim; Araripina; Barra de Guabiraba; Belém de Maria; Belém de São Francisco; Betânia; Brejão; Brejinho; Cabrobó; Cachoeirinha; Calçado; Calumbi; Camutanga; Carnaiba; Carnaubeira da Penha; Catende; Chã Grande; Correntes; Cortês; Cumaru; Dormentes; Exú; Fernando de Noronha; Flores; Glória do Goitá; Granito; Iati; Ibirajuba; Iguaraci; Inajá; Ingazeira; Ipubi; Itacuruba; Itamaracá; Itapetim; Jaqueira; Jatobá; João Alfredo; Jucati; Jupi; Lagoa do Ouro; Lagoa dos Gatos; Lajedo; Macaparana; Manari; Mirandiba;  Moreilândia; Orobó; Orocó; Palmeirina; Parnamirim; Passira; Pedra; Petrolândia; Poção; Pombos; Primavera; Quixaba; Sairé; Salgadinho; Santa Cruz; Santa Cruz da Baixa Verde; Santa Filomena; Santa Maria do Cambucá; Santa Terezinha; São Benedito do Sul; São Caetano; São José do Belmonte; São Vicente Férrer; Serrita; Solidão; Tabira; Tacaratu; Tamandaré; Terezinha; Terra Nova; Tracunhaém; Triunfo; Tupanatinga; Tuparetama; Venturosa; Verdejante; Xéxeu.