AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

GBest SPORT

1ª VAQUEJADA PARQUE FERNANDO LUCENA

1ª VAQUEJADA PARQUE FERNANDO LUCENA

sexta-feira, 17 de maio de 2019

*“POLÍCIA FEDERAL APREENDE 2.5KG (DOIS QUILOS E MEIO) DE SKUNK NO AEROPORTO INTERNACIONAL DOS GUARARAPES E PRENDE UMA BRASILEIRA POR TRÁFICO DE DROGAS.”







A Polícia Federal em Pernambuco, prendeu em flagrante no dia 13/05/2019, por volta das 10h, no Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre ANDRÉIA BISPO DE OLIVEIRA, solteira, 24 anos, vendedora, natural de Eurinepe/AM e residente em Manaus/AM-(não possui antecedentes criminais).  A prisão aconteceu durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre. Os Policiais Federais ao selecionarem alguns passageiros para uma entrevista prévia começaram a fazer algumas perguntas para a passageira respondeu com bastante insegurança aos questionamentos, dizendo que era vendedora de roupas, porém não tinham nenhum catálogo com os produtos e ao ser perguntada quantos dias passaria em São Luiz/MA responder que de 4 a 5 dias, porém não tinha bagagem de mão e nem despachada.

A ação teve seu desfecho final quando uma policial feminina ao proceder uma busca pessoal em seu corpo, descobriu escondido por baixo de suas roupas (na barriga) presos com fita adesiva, vários invólucros plásticos que continha em seu interior skunk (substância concentrada com alto teor de THC, também conhecida como supermaconha). Ao todo foram identificados 04 (quatro) invólucros que ao passar pelo exame narcoteste resultou positivo para skunk, totalizando um peso bruto de 2.5Kg (dois quilos e meio). Além da droga também foram apreendidos documentos e 01 (um) aparelho celular e cartões de embarque e passagens aéreas.*

Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido a droga encontrada, a suspeita recebeu voz de prisão em flagrante foi informada dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida foi levada para a Superintendência da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuada pela prática do crime contido no artigo 33 c/c artigo 40 inciso V da Lei nº 11.343/2006 (tráfico interestadual de entorpecentes) e caso seja condenada poderá pegar penas que variam de 5 a 15 anos de reclusão. Após a autuação, a presa realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal, passou pela audiência de custódia onde foi CONFIRMADA A SUA PRISÃO PREVENTIVA para em seguida ser conduzido para a Colônia Penal Feminina, onde ficará à disposição da Justiça Estadual/PE.

Em seu interrogatório a presa informou que por estar desempregada e passando por problemas financeiros resolveu aceitar a proposta de uma pessoa em Manaus/AM (não deu maiores detalhes) para fazer o transporte da maconha até São Luiz/MA fixada em sua barriga. E para isso receberia a quantia de R$ 1 mil reais.

O skunk é plantado em ambiente controlado, buscando maior concentração do tetrahidrocanabinol, ou THC, substância psicoativa que é o principal responsável pelos efeitos alucinógenos. Normalmente, a concentração de THC nos tipos comuns de maconha varia entre 2% e 4%. Já no Skunk varia entre 14% e 15%, mas, já foram apreendidos skunk com até 30% de THC, o que torna esse tipo de maconha ainda mais prejudicial e letal.

Os sintomas da maconha são alucinações, perda do controle da concentração e coordenação motora, perda da memória, psicoses, esquizofrenia, neuroses, dilatação da pupila, olhos vermelhos entre outros. Os efeitos do skunk são os mesmos da maconha, porém muito mais intensos, fazendo com que o cérebro do usuário acaba sendo “fritado”, ou seja, os danos cerebrais são mais intensos e danosos.