AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

RC TECIDOS

RC TECIDOS

GBest SPORT

segunda-feira, 15 de julho de 2019

COLUNA DO DELEGADO LESSA


A redução da violência em Pernambuco

Houve uma redução de 23% no número de homicídios em Pernambuco no primeiro semestre de 2019. De janeiro a junho, foram 1.757 homicídios, enquanto no mesmo período do ano passado somaram-se 2.284 ocorrências deste tipo. Desde o final de 2017, a queda dos números tem sido constante.

Os índices são resultados de vários fatores, envolvendo os mais diversos núcleos sociais. Convém ressaltar a importância do trabalho das polícias. A Polícia Civil, por exemplo, apresentou mais de 50% de esclarecimento de homicídios. Além disso, o número de Operações de Repressão Qualificada dobrou este ano em relação a 2018. No primeiro semestre do ano passado, foram 26 e neste ano, contabilizam-se 54. As Operações de Repressão Qualificada retiram de circulação indivíduos integrantes de organizações criminosas envolvidos em corrupção, na criminalidade violenta e no tráfico de drogas, principalmente.

O Poder Legislativo estadual também tem sua contribuição no sentido de minimizar a insegurança. A criação da Frente Parlamentar de Segurança Pública, da qual estou coordenador-geral, é um exemplo. Através desta Frente, conseguimos aproximar o debate com a população e apresentá-lo na Assembleia Legislativa e nas reuniões do Comitê Gestor do Pacto Pela Vida.

A criação da lei que institui a Política de Prevenção Social ao Crime e à Violência também vale a pena ser ressaltada. A norma tem por objetivo contribuir para a prevenção e redução do crime e da violência através da promoção de ações integradas de políticas públicas nos territórios de maior incidência criminal para superação das vulnerabilidades indutoras de violência e da criminalidade.

É preciso reconhecer que ainda há muito o que ser feito, mas é indiscutível que estamos nos aproximando de um novo cenário social, com mais segurança e oportunidades. Com a participação ativa dos poderes públicos – em todas as esferas – e da sociedade civil, alcançaremos índices ainda melhores de segurança e justiça social.