AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

quinta-feira, 15 de abril de 2021

HOMICÍDIOS CAEM NOVAMENTE EM PERNAMBUCO E FICAM NO MENOR PATAMAR DE TODA A SÉRIE HISTÓRICA

 



As estatísticas de crimes contra a vida no Estado existem desde 2004. Em 18 marços da linha do tempo, o mês passado foi o que apresentou o menor quantitativo de CVLIs. A retração foi de 24% em relação ao mesmo período de 2020. Na geografia do Estado, 98 cidades desconheceram assassinatos. O 1º trimestre, por sua vez,  foi o menos violento em 7 anos e o segundo com mais baixo índice na trajetória do Pacto pela Vida 

Acompanhando os crimes patrimoniais, os homicídios tiveram, em março, a terceira queda consecutiva em 2021. O mês passado, com 276 mortes, foi o março menos violento em Pernambuco desde que os crimes contra a vida passaram a ser contabilizados no Estado, em 2004. A série histórica possui 18 marços, e o deste ano apresentou o mais baixo patamar de assassinatos. Na linha do tempo, os terceiros meses com cenário semelhante ocorreram em 2013 (285) e 2012 (291), biênio de indicadores mais baixos de perdas de vidas para a violência na trajetória do Pacto pela Vida (confira dados completos abaixo). Em comparação ao mesmo período de 2020 (363), a redução foi de 24%, correspondente à preservação de 87 vidas nesses 31 dias.  

A retração dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) foi histórica também na análise do 1º trimestre de 2021, que teve o menor quantitativo de mortes em 7 anos. Entre janeiro e março deste ano, 834 pessoas perderam a vida em homicídios. Em toda a série histórica de estatísticas criminais da Secretaria de Defesa Social do Estado (SDS), este é o segundo menor índice dos primeiros três meses de cada ano. Apenas em 2014 houve menos casos, com 828. Em comparação com 2020, quando ocorreram 994 mortes violentas no trimestre, este ano a diferença foi de -16,1%.

“Temos a plena consciência de que ainda estamos distantes de uma sociedade livre da violência. Crimes de proximidade, intolerância, violências contra mulher, criança e idosos, disputa pelo tráfico de drogas e ação de grupos criminosos são um grande desafio para a segurança pública e motivo de apreensão por parte da sociedade. Mas temos de ter como referência a nossa realidade social e o comportamento estatístico ao longo dos anos no Estado para avaliar a efetividade das nossas ações. Estamos falando de um longo período, com suas variantes e contextos específicos. Podem argumentar que a pandemia é responsável pela redução. Mas vimos o isolamento social fazer os assassinatos crescerem em todo o país, no ano de 2020. Podemos falar do trabalho das forças de segurança de Pernambuco, incansáveis no combate ao crime. Só em março, 224 homicidas foram presos, sendo 86 em flagrante.  Isso mostra com clareza que os criminosos não param, e os nossos agentes da segurança param menos ainda”, argumenta o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

RECORTES REGIONAIS - A queda no número de homicídios, no acumulado do ano, foi liderada pelo Agreste, com uma diferença de -27,73%, caindo de 238 para 172 crimes. Na sequência, vêm a Zona da Mata (-24,66%), o Sertão (-13,04%) e a Região Metropolitana (-12,54%). Comparando os meses de março dos anos de 2020 e 2021, a Zona da Mata teve a maior redução no número de homicídios (-41,77%), seguida pelo Agreste (-35,56%), Região Metropolitana (-25,21%) e Sertão (-8,82%).

MENOS VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER E ESTUPROS - Pernambuco fecha o 1º trimestre com redução nos crimes de estupro e violência doméstica contra a mulher. No acumulado do ano de 2021, foram registrados 585 estupros contra 633 do ano passado, o que representa uma redução de -7,58%. Os crimes de violência contra a mulher também apresentaram  retração no 1° trimestre deste ano, com 10.761 queixas contra 10.971 no mesmo período do ano passado, o que corresponde a uma diminuição de -1,91%. 

 Relação dos 98 municípios sem CVLI em março de 2021

Afogados da Ingazeira, Afrânio, Agrestina, Alagoinha, Altinho, Amaraji, Angelim, Araçoiaba, Barra de Guabiraba, Belém de São Francisco, Belo Jardim, Betânia, Bodocó, Brejão, Brejinho, Buenos Aires, Buíque, Cabrobó, Caetés, Calçado, Calumbi, Camocim de São Félix, Camutanga, Canhotinho, Carnaubeira da Penha, Carpina, Casinhas, Catende, Chã de Alegria, Condado, Correntes, Cortês, Cupira, Dormentes, Exu, Feira Nova, Fernando de Noronha, Flores, Frei Miguelinho, Gameleira, Granito, Iati, Ibimirim, Iguaraci, Inajá, Ingazeira, Itacuruba, Itaíba, Itapetim, Jaqueira, João Alfredo, Joaquim Nabuco, Lagoa do Carro, Lagoa do Itaenga, Lagoa do Ouro, Lagoa dos Gatos, Lagoa Grande, Macaparana, Machados, Manari, Mirandiba, Moreilândia, Orobó, Orocó, Ouricuri, Palmeirina, Passira, Pedra, Petrolândia, Poção, Primavera, Quipapá, Quixaba, Riacho das Almas, Rio Formoso, Sairé, Salgadinho, Salgueiro, Santa Cruz, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Maria do Cambucá, São Benedito do Sul, São João, São Joaquim do Monte, São José do Egito, Serrita, Solidão, Tacaimbó, Tacaratu, Trindade, Triunfo, Tupanatinga, Tuparetama, Venturosa, Verdejante, Vertente do Lério, Vertentes e Vicência.

Série histórica de CVLIs em Pernambuco, para os meses de março (2004 a 2021):

2004 - 331

2005 - 382

2006 - 395

2007 - 426

2008 - 394

2009 - 372

2010 - 319

2011 - 333

2012 - 291

2013 - 285

2014 - 311

2015 - 335

2016 - 395

2017 - 551

2018 - 369

2019 - 316

2020 - 363

2021 - 276

CVLIS em Pernambuco nos primeiros trimestres de 2015 a 2021

2015 - 983

2016 - 1057

2017 - 1525

2018 - 1238

2019 - 897

2020 - 994

2021 - 834