PREFEITURA DE CARUARU

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

segunda-feira, 22 de novembro de 2021

COLUNA DO DELEGADO LESSA

 


Consciência e fraternidade

As reflexões e ações contra o preconceito e o racismo aumentam no mês de novembro, com a passagem do Dia da Consciência Negra em 20 de novembro. A data foi escolhida porque nesse dia, em 1695, o líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, foi morto na Serra da Barriga, no estado de Alagoas. O momento é propício para lembrar da história brasileira, reforçar a identidade negra e promover uma convivência fraterna na sociedade.

Além dele, outros ícones marcaram a história brasileira e merecem destaque. Podemos citar os irmãos engenheiros André e Antonio Rebouças, nascidos em 1838 e 1839, respectivamente, na cidade baiana de Cachoeira. Eles foram responsáveis por projetar a ferrovia Paranaguá-Curitiba, além de terem planejado um sistema de distribuição de água que auxiliou a população do Rio de Janeiro a enfrentar a seca de 1870. André Rebouças, inclusive, realizou um profundo estudo comparativo entre os meios de minorar as secas na Inglaterra e na Índia, aconselhando sobre o que deveria ser empregado no Nordeste brasileiro.

Resgatar o legado de grandes vultos da nossa história é muito importante e vai ao encontro de conquistas sociais e, também, no âmbito legislativo. Através da Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003, houve o reconhecimento oficial do Dia da Consciência Negra no Brasil, entrando para o calendário escolar nacional como uma data comemorativa e o tema se tornou componente obrigatório no currículo das escolas.

Nossos jovens precisam conhecer mais figuras que os inspirem a crer em um futuro melhor e possibilidades de desenvolvimento. Para tanto, é imprescindível o reconhecimento da liberdade e da igualdade entre as pessoas e um comprometimento moral da fraternidade, conforme está disposto no artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos e, dotados como estão de razão e consciência, devem comportar-se fraternalmente uns com os outros”.