TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CENTRAL BURGUER

CENTRAL BURGUER

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

segunda-feira, 23 de maio de 2016

O que faz cada órgão do sistema de segurança e justiça criminal?


Rotineiramente sou indagado acerca da atribuição de cada órgão do sistema de segurança e justiça criminal. Nessa edição traremos esclarecimentos básicos sobre o tema.
Vamos direto ao assunto: a polícia militar está inserida na Constituição Federal, como polícia preventiva e ostensiva, ou seja, responsável direta para que o crime não ocorra, atuando com viaturas e profissionais fardados.
A polícia rodoviária federal atua no patrulhamento nas rodovias, mas também tem a atribuição de prevenir crimes numa forma geral, pois também atua ostensivamente, com profissionais e viaturas identificadas.
As polícias investigativas são a civil e a federal, sendo que a primeira atua nos crimes em geral, de atribuição da justiça estadual, e a polícia federal atua na investigação dos crimes federais (especificados na Constituição). Logicamente por investigar, essas polícias atuam após o crime ocorrer, e tem a função principal de apresentar ao Ministério Público e Poder Judiciário, o fato, as circunstâncias, a autoria e a materialidade do crime.
O Ministério Público (promotorias de justiça – âmbito estadual - e procuradorias da república – federal) promove a ação penal e a justiça criminal.
À defensoria pública cabe defender o réu quando não tem capacidade financeira de constituir advogado. Este atua, na maioria das vezes, na defesa do réu.

A justiça estadual e federal cabe analisar o caso apresentado pelo Ministério Público e partes (advogado, autor, defensoria pública e réus) e ao final do processo apresentar a síntese do caso, condenando ou absolvendo os réus.