POUSADA DA PAIXÃO

POUSADA DA PAIXÃO

COMERCIAL JR

COMERCIAL JR

VIP

VIP

RC TECIDOS

RC TECIDOS

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

NORDESTE MOTOS

NORDESTE MOTOS

sábado, 29 de outubro de 2016

IML CONCLUI QUE BEBÊ QUE FOI ENCONTRADO MORTO AO LADO DO ATERRO SANITÁRIO DE CARUARU FOI ASSASSINADO.



O corpo de uma criança recém nascida do sexo masculino foi encontrado na madrugada da sexta-feira dia 07 de outubro ao lado do aterro sanitário, que fica no Sítio Capim, na zona rural de Caruaru. Um casal que mora próximo viu os cães latindo muito durante a madrugada e foi vê do que se tratava quando encontrou o corpo e acionou a Polícia Militar que ao constatar chamou a Polícia Civil e o IC, que realizaram o levantamento cadavérico. O bebê ainda estava com o cordão umbilical teve uma perna, um pé e um dos bracinhos devorados pelos cachorros.


Passados alguns dias o IML local que examinou o corpo emitiu o Laudo que constata que a criança foi vítima de morte violenta, que apresentava uma lesão na cabeça e que foi morta por um instrumento contundente.


O delegado chefe da 19ª Delegacia de Homicídios de Caruaru, Dr. Francisco Souto Maior é quem está investigando o caso e relatou que a única dúvida é se a criança foi vítima de um homicídio ou de um infanticídio que poderia amenizar a punição para a mãe, ele disse ainda que conta com o apoio da população para que denuncie quem é a mãe do bebê e quem deu lhe apoio, pois o local onde o corpo foi encontrado só é freqüentado por quem conhece a área e nas costas do bebê havia uma luva usada por médicos ou profissionais que trabalham na saúde. Ele garantiu que quem souber de algo e esteja disposto a ajudar terá a garantia no anonimato e para ajudar é só ligar para o Disque-Denúncia, que funciona de segunda a sexta no horário comercial ou procure a sua delegacia na Avenida Caruaru ao lado da regional. 

Com a confirmação de homicídio, o caso entra para a estatística da violência na cidade elevando para 20 assassinatos no mês de outubro e para 183 no ano de 2016.