TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CENTRAL BURGUER

CENTRAL BURGUER

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

ESPOSA DE COMERCIANTE ASSASSINADO EM SÃO JOAQUIM DO MONTE É CONDENADA EM JULGAMENTO PELA MORTE DO ESPOSO E UM DOS ACUSADOS FOI ABSOLVIDO


Um comerciante foi assassinado na noite do dia 06 de fevereiro de 2010 em São Joaquim do Monte e foi um caso de grande repercussão pelo fato de outra pessoa também ter sido morta e mais duas terem sido baleadas e tudo isso teria sido a mando da esposa do comerciante que contou com a ajuda da mãe e de um pai de santo e nesta quarta-feira (07) dois dos seis acusados foram julgados num júri popular no Fórum Dr. Demóstenes Veras em Caruaru, no qual a mulher que teria mando matar o marido, foi condenada e o motorista que levou os assassinos para cometerem o crime, foi absolvido.

Segundo a investigação, o crime aconteceu da seguinte forma, Elisangela Augusta de Lima Santos, de 37 anos, planejou a morte do esposo, Jailson José dos Santos, que na época tinha 33 anos. Ele era dono de um supermercado e a acusada teve o apoio da mãe, Edna Augusto Leal de Lima, de 59 anos, que contratou o amigo, Amaro Correia da Silva, vulgo “Amarinho Rezador” de 87 anos, que contratou o principal pistoleiro, José Cícero Nunes de Andrade, de 46 anos, que chamou o sobrinho, José Andrade dos Santos, de 35 anos, para matarem a vítima e para a empreitada chamaram o amigo, Fábio dos Santos da Cruz, de 33 anos, para dirigir o carro e leva-los a cena do crime, onde mataram o comerciante Jailson e o dono do churrasquinho, José Pedro da Silva, conhecido por “Dequinha” de 33 anos, que tinha o seu ponto comercial em frente ao supermercado do Jailson. Dois clientes do churrasquinho também saíram baleados, João Honório dos Santos, de 49 anos e Joseildo Arceno da Silva, que foram atingidos com tiros de raspão e escaparam da morte.

O advogado criminalista Dr. Artur Ramos, disse que o seu cliente Fabio dos Santos, foi para o local com os executores por conhecê-los,  mas não sabia que eles teriam sido contratados para cometer o crime e que mesmo vendo eles matarem duas pessoas e baleando outras duas, foi coagido para retirá-los da cena do crime com medo de também ser assassinado e  essa foi a sua tese apresentada no julgamento que acabou sendo acatado pelos jurados. A esposa do comerciante foi condenada a 28 anos e meio de prisão e retornou para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor no Recife e o Fábio deve ser liberado da prisão.


Quanto ao fato dos outros quatros acusados não terem sido julgados, o advogado falou que eles são defendidos por advogados da Defensoria Pública e como se trata de uma tese conflitante precisaria de quatro defensores e por não dispor de defensores suficientes no momento comunicou o caso a justiça e o Ministério Público solicitou o adiamento do julgamento que foi acatado pela justiça, porém  o Dr. Artur e o advogado da esposa do comerciante pediram para  que os seus clientes fossem julgados na data marcada e foram atendidos. Nisso foi feito o desmembramento do seu cliente e da esposa do empresario dos outros réus, que serão julgados à posteriori. Em relação ao desaforamento de São Joaquim do Monte para Caruaru, o jurista falou que isso é comum e ocorre por falta de estrutura do fórum local, por falta de segurança ou por ter sido um crime de comoção popular, ele disse ainda que deverá mover uma ação contra o Estado pela injustiça, já que o seu cliente está preso há quase 7 anos sem dever.