TEFNET

TEFNET

AGRICENTER

AGRICENTER

COMERCIAL JR

COMERCIAL JR

VIP

VIP

RC TECIDOS

RC TECIDOS

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

ESPOSA DE COMERCIANTE ASSASSINADO EM SÃO JOAQUIM DO MONTE É CONDENADA EM JULGAMENTO PELA MORTE DO ESPOSO E UM DOS ACUSADOS FOI ABSOLVIDO


Um comerciante foi assassinado na noite do dia 06 de fevereiro de 2010 em São Joaquim do Monte e foi um caso de grande repercussão pelo fato de outra pessoa também ter sido morta e mais duas terem sido baleadas e tudo isso teria sido a mando da esposa do comerciante que contou com a ajuda da mãe e de um pai de santo e nesta quarta-feira (07) dois dos seis acusados foram julgados num júri popular no Fórum Dr. Demóstenes Veras em Caruaru, no qual a mulher que teria mando matar o marido, foi condenada e o motorista que levou os assassinos para cometerem o crime, foi absolvido.

Segundo a investigação, o crime aconteceu da seguinte forma, Elisangela Augusta de Lima Santos, de 37 anos, planejou a morte do esposo, Jailson José dos Santos, que na época tinha 33 anos. Ele era dono de um supermercado e a acusada teve o apoio da mãe, Edna Augusto Leal de Lima, de 59 anos, que contratou o amigo, Amaro Correia da Silva, vulgo “Amarinho Rezador” de 87 anos, que contratou o principal pistoleiro, José Cícero Nunes de Andrade, de 46 anos, que chamou o sobrinho, José Andrade dos Santos, de 35 anos, para matarem a vítima e para a empreitada chamaram o amigo, Fábio dos Santos da Cruz, de 33 anos, para dirigir o carro e leva-los a cena do crime, onde mataram o comerciante Jailson e o dono do churrasquinho, José Pedro da Silva, conhecido por “Dequinha” de 33 anos, que tinha o seu ponto comercial em frente ao supermercado do Jailson. Dois clientes do churrasquinho também saíram baleados, João Honório dos Santos, de 49 anos e Joseildo Arceno da Silva, que foram atingidos com tiros de raspão e escaparam da morte.

O advogado criminalista Dr. Artur Ramos, disse que o seu cliente Fabio dos Santos, foi para o local com os executores por conhecê-los,  mas não sabia que eles teriam sido contratados para cometer o crime e que mesmo vendo eles matarem duas pessoas e baleando outras duas, foi coagido para retirá-los da cena do crime com medo de também ser assassinado e  essa foi a sua tese apresentada no julgamento que acabou sendo acatado pelos jurados. A esposa do comerciante foi condenada a 28 anos e meio de prisão e retornou para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor no Recife e o Fábio deve ser liberado da prisão.


Quanto ao fato dos outros quatros acusados não terem sido julgados, o advogado falou que eles são defendidos por advogados da Defensoria Pública e como se trata de uma tese conflitante precisaria de quatro defensores e por não dispor de defensores suficientes no momento comunicou o caso a justiça e o Ministério Público solicitou o adiamento do julgamento que foi acatado pela justiça, porém  o Dr. Artur e o advogado da esposa do comerciante pediram para  que os seus clientes fossem julgados na data marcada e foram atendidos. Nisso foi feito o desmembramento do seu cliente e da esposa do empresario dos outros réus, que serão julgados à posteriori. Em relação ao desaforamento de São Joaquim do Monte para Caruaru, o jurista falou que isso é comum e ocorre por falta de estrutura do fórum local, por falta de segurança ou por ter sido um crime de comoção popular, ele disse ainda que deverá mover uma ação contra o Estado pela injustiça, já que o seu cliente está preso há quase 7 anos sem dever.