AUTO VIP

AUTO VIP

TEFNET

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

CASA DO CAMPÔNES

CASA DO CAMPÔNES

GIVALDO RECON PEÇAS

GIVALDO RECON PEÇAS

quarta-feira, 21 de março de 2018

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUZA


O PREÇO DOS PALANQUES POLÍTICOS

É notório que há um tempo, os palanques começaram a ser montados em nossa região. Como um efeito “milagroso”, sujeitos outrora apáticos, começam a surgir, como protagonistas da construção social. É bem verdade que, os indivíduos que compõe nossa sociedade, estão cansados dessa velha política assistencialista e oportunista.

O fato é que, promessas não convencem mais a população, que se encontra desacreditada com a atual politicagem ofertada. Às vezes, a impressão que passa é que os políticos em mandato, desafiam a capacidade intelectual das pessoas, pois mesmo uma parcela da população opte por se abster do processo eleitoral, outra considerada almeja transformação e acompanha ativamente as possibilidades de escolha. Um país claramente dividido entre esquerda e direita, e suas subdivisões, se enfraquece em situações que demandam força e união dos diferentes segmentos.

O cenário instável tem causado temor nos políticos profissionais, que aparecem somente em ano eleitoreiro, a fim de arrebanhar a garantia de seus mandatos. Nem precisamos ir muito longe para observar isso. No município de Caruaru, por exemplo, famílias alternam no poder sob um discurso de que representam o “novo”. O resultado disso, basta fazer uma simples análise do andamento da cidade e constatar que a mesma, não tem uma gestão eficiente e transparente. Ou, acompanhar as inúmeras vezes as quais o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ajuizou ações contra a prefeitura de Caruaru.

No início da semana,por exemplo, o MPPE ajuizou duas ações de responsabilização por atos de improbidade. De acordo com o órgão, as irregularidades dizem respeito à contratação da empresa, mediante dispensa de licitação, para fornecimento de mão de obra e locação de veículos. O MPPE aponta um prejuízo ao erário na ordem de R$ 1.882.071,36. Além de, no ato de celebração do contrato a empresa não possuía veículos ou funcionários, o que chamou bastante a atenção.

O povo está cansado! Cansado de ser explorado, enganado e esquecido. De ser enaltecido em campanhas, e jogado ao calabouço posteriormente. O sentimento genuíno para as eleições de 2018 é de mudança. Nosso estado e país precisam ser oxigenados por pessoas novas. Fica então a indagação: Qual o preço dos palanques montados? Promessas, propostas particulares, propinas? Enquanto assim o for, pereceremos.

Essa foi minha opinião de mulher de hoje. Participe conosco enviando suas dúvidas, questionamentos e sugestões para dra.nayarasousa@hotmail.com.