AUTO VIP

AUTO VIP

TEFNET

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

CASA DO CAMPÔNES

CASA DO CAMPÔNES

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

POLÍCIA FEDERAL REALIZA OPERAÇÃO PANKARARU QUE VISA DESOCUPAR POSSEIROS DA TERRA INDÍGENA PANKARARU





A Policia Federal Pernambuco em conjunto com o Comando de Operações Táticas da Polícia Federal-COT, Grupo de Pronta Intervenção-GPI e com o apoio de Policiais Militares do BEPI realizou na manhã de ontem, 13/09/2018 a operação denominada Pankararu teve por objetivo realizar a desocupação de 12 imóveis indígenas na região localizada entre os municípios de Tacaratu, Jatobá e Petrolândia no Sertão Pernambucano que estavam sendo ocupados de forma irregular por não indígenas!

A desocupação começou às 6h e contou com a participação de 100 policiais entre federais e militares e foi autorizada pela 38ª Vara da Justiça Federal de Serra Talhada/PE que determinou um prazo de 45 dias para a saída definitiva dos posseiros das terras indígenas. A decisão é do último dia 8 de março deste ano. Este embate judicial já durava mais de 30 anos e área do embate tem 8.100 hectares de terra

A desocupação ocorreu de forma pacífica e tranquila com apenas dois incidentes que resultaram na detenção de duas pessoas pelo crime de desobediência! Não existiu nenhum episódio que tenha resultado em feridos graves, apesar de ter havido por parte de alguns ocupantes o lançamento de pedras contra os policiais e muitos deles terem tentado resistir a ação policial, inclusive de posse de facões, mas que foram contidos sem maiores incidentes. Uma ambulância do corpo de bombeiros encontrava-se no local para agir em quaisquer eventualidades e foram colocadas em prática todas as técnicas policiais de desocupação e de uso progressivo da força de forma técnica e profissional objetivando evitar qualquer tipo de ocorrências que viessem a prejudicar o bom andamento da operação!

Dos 12 imóveis apenas 07 (sete) foram desocupados em virtude de 2 (dois) deles estarem com endereço impreciso e 3 (três) estarem sendo ocupados por pessoas idosas o que levou os oficiais de justiça a reavaliar a situação e dar mais um prazo de 15 (quinze) dias para que as famílias dessas três casas pudessem ter mais tempo para sair de suas residências.