TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

segunda-feira, 24 de abril de 2017

COLUNA A HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA

Resultado de imagem para erick lessa

BALEIA AZUL – INDUZIMENTO AO SUICÍDIO!

Muito tem se comentado, principalmente nas redes sociais sobre esse jogo ou desafio conhecido por “Baleia Azul”, que tem levado jovens pelo mundo a praticar atitudes impensadas e desequilibradas, já sendo registrados casos de suicídio, inclusive há uma suspeita na cidade de Petrolina-PE, de uma jovem de 15 anos, residente na cidade de Juazeiro-BA, que estava desaparecida, e veio a ser encontrado seu corpo boiando no rio São Francisco, no porto de Jatobá, na cidade Pernambucana. Uma amiga da jovem informou a polícia que ela estava participando do desafio da “Baleia Azul”.

A polícia civil de Pernambuco, já recebeu algumas denúncias, principalmente de pais de adolescentes, informando acerca do caso, e solicitando apoio policial. Num dos casos registrados, um adolescente tinha como uma das tarefas sacrificar um gato e beber seu sangue, e realizar a filmagem de tal ação, enviando em seguida para o aliciador, conhecido como “curador”, para provar que a tarefa do tal “jogo virtual” fora cumprida. Caso o adolescente não cumprisse a tarefa a vítima, e seus familiares, seriam ameaçados de morte.

Ainda segundo o “jogo” o último dos estágios a ser cumprido pelo jogador é tirar a própria vida e essa conduta, sem sombra de dúvidas, amolda-se ao crime de induzimento ao suicídio, previsto no Código Penal, no art. 122, com pena prevista de 2 a 6 anos, caso o suicídio se consume e de 1 a 3 anos, caso a vítima não leve a efeito, retirar a própria vida, mas fique lesionado, como alguns casos já registrados no nosso país, de adolescentes com cortes em seu corpo. Caso os tais “curadores”, que na verdades são indutores do suicídio, verdadeiros infratores da legislação, sejam adolescentes responderão às reprimendas previstas no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Muito polêmica em relação ao tal “jogo” macabro, tem sido verificada, chegando pessoas a dizer que isso é problema de falta de correção por parte dos pais, mas estamos falando de crianças e adolescentes, muitas das vezes, com sintomas depressivos ou outros transtornos. Esse jogo e as autolesões praticadas por essa juventude e até a prática do suicídio, deve acender o alerta para os pais a fim de que observem atentamente a rotina do seu(sua) filho(a), e que possa ajudá-lo(a) num momento como esse, inclusive cabe aos genitores pedir providências às autoridades policiais, a fim de serem tomadas as medidas investigativas necessárias, e levar ao judiciário para ser punindo, caso identificado o criminoso (como todos sabemos não existe crime perfeito, e o suspeito será identificado) e levado às malhas da lei.


Fica a reflexão. Fique atento à próxima edição da Hora da Cidadania, que é divulgada todas as segundas-feiras.

Visualizar