AUTO VIP

AUTO VIP

TEFNET

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

NORDESTE RASTREAMENTO

NORDESTE RASTREAMENTO

CFC MONTEIRO

CFC MONTEIRO

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

quarta-feira, 18 de abril de 2018

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUZA



PORQUE O SILÊNCIO AINDA VENCE?

Em nossa última coluna, trouxemos o caso de estupro seguido de morte, de uma criança de apenas um ano e seis meses, ocorrido na cidade de Bezerros, tendo como acusado pelo crime o padrasto da vítima. Na madrugada do mesmo dia (11), em Vitória de Santo Antão, quatro jovens universitárias tiveram seu apartamento invadido por dois criminosos. Os homens entraram pela janela e assaltaram as mulheres, segundo a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), os suspeitos levaram duas das quatro jovens para um dos quartos do imóvel, onde praticaram estupro.

As jovens ficaram em estado de choque, receberam assistência multiprofissional e realizaram exames periciais e profilaxia para as Infecções Sexualmente Transmissíveis e gravidez. O crime causou grande impacto e comoção no município, e deixou os moradores perplexos, principalmente porque o local a qual ocorreu, foi em uma área central e de grande circulação na cidade.

Um pai de santo e comerciante, foi preso nessa segunda-feira (16), no bairro Vasco da Gama, Zona Norte de Recife, acusado de estupro de vulnerável contra três crianças. O homem, de 35 anos, que não teve a identidade revelada, é suspeito de ter abusado sexualmente da filha de 5 anos e dois adolescentes: a enteada de 14 anos e outro rapaz, também de 14 anos. Segundo a delegada titular de Casa Amarela, Lídia Barci, ainda pairam suspeitas de que a mãe das crianças tenha sido conivente com a situação, já que após a denúncia a família mudou de endereço algumas vezes.

É importante destacar que a maioria dos casos de abuso, ocorrem no seio familiar e no interior das residências, cometidos por pais, tios, padrastos, vizinhos... A melhor forma para combater é quebrar o silêncio e denunciar, assim como, observar a mudança de comportamento, que pode ser apresentado por pessoas que sofrem esse tipo de violência. Em muitas situações, a vítima não consegue de início externar o fato ocorrido.

Podemos analisar que a violência sexual tem crescido drasticamente, e que as crianças são os sujeitos mais penalizados por além de sofrerem a dor física e emocional a qual o ato trás, sofrem pela imaturidade natural a qual passam, o que muitas vezes descredencia as mesmas a serem ouvidas. Mesmo que a criança já possua uma idade compatível com o diálogo, sofrem por não saber lidar com o medo e as ameaças que o agressor deposita sobre ela. No Brasil, 50% dos estupros são de crianças de até 13 anos e, desses, 68% são cometidos por pessoas próximas, como familiares ou amigos (Sinan/Ministério da Saúde). Talvez o silêncio ainda vença, porque os estupros geralmente acontecem partindo das únicas pessoas as quais as vítimas confiariam contá-los!

Essa foi minha opinião de mulher de hoje. Participe conosco enviando suas dúvidas, questionamentos e sugestões para dra.nayarasousa@hotmail.com