AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

DRIVE TOUR BRASIL

DRIVE TOUR BRASIL

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUZA


MINISTRO GILMAR MENDES EM CONTOS DE NATAL

Na última terça-feira, a mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), a advogada Adriana Ancelmo, deixou a cadeia Pública José Frederico Marques, na zona norte da capital fluminense, após decisão tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que substituiu sua prisão preventiva por prisão domiciliar.

Vale relembrar que em Setembro deste ano, ela foi condenada a 18 anos e três meses de prisão pelo crime de lavagem dinheiro e por ser beneficiária do esquema de corrupção comandado por Sérgio Cabral. Conhecida entre outras situações, por adquirir diversas joias com valores exorbitantes, a ex – primeira dama passará o natal no aconchego de seu lar no Leblon.

Em uma de suas falas, Gilmar Mendes trás o benefício concedido às mulheres que tem filhos menores de 12 anos de idade, previsto no Código Penal, para embasar sua decisão: "Não obstante as circunstâncias em que foi praticado o delito, a concessão da prisão domiciliar encontra amparo legal na proteção à maternidade e à infância, como também na dignidade da pessoa humana, porquanto prioriza-se o bem-estar da criança” , explanou o Ministro.

Se olharmos a situação carcerária atual brasileira e o quantitativo de presidiárias que se enquadrariam nesse perfil relatado anteriormente, certamente milhares de outras detentas também gozariam do direito à prisão domiciliar, se tivessem quem se preocupasse com a “Proteção à Maternidade”. Parece-nos que o Ministro está envolvido pelo espírito natalino, ao conceder paralelamente a suspensão de um inquérito contra Beto Richa, governador do Paraná, investigado sob suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. Assim como o Senador Benedito de Lira, os deputados Arthur Lira, Dudu da Fonte e José Guimarães, receberam votos decisivos de arquivamento de denúncias. Todos investigados por corrupção, poderão agora preparar suas ceias mais tranquilos, graças ao “bondoso” sentimento que envolve o Supremo.

Essa foi a nossa Opinião de Mulher de hoje. Participe conosco enviando suas dúvidas, questionamentos e sugestões para dra.nayarasousa@hotmail.com.