Prefeitura de Caruaru

Prefeitura de Caruaru

ANUNCIE SUA MARCA AQUI! ENTRE EM CONTATO!

ANUNCIE SUA MARCA AQUI! ENTRE EM CONTATO!

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2024

POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO MATINÊ CONTRA CRIMES DE ABUSO SEXUAL INFANTIL EM PERNAMBUCO

Dois homens foram presos em flagrante e cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos no Recife e região metropolitana.






Recife/PE. A Polícia Federal deflagrou ontem (06/02) em Pernambuco a Operação Matinê, para combater a prática de estupro de vulnerável, bem como o armazenamento, a divulgação e a produção de imagens contendo cenas de abuso sexual infantil. As investigações tiveram início entre os anos de 2022 e 2023 e resultaram em cinco inquéritos policiais diferentes.

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos nos municípios do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e Cabo do Santo Agostinho. O objetivo foi realizar a apreensão de computadores, notebooks, celulares e mídias com potencial de armazenamento de imagens e vídeos contendo cenas de abuso sexual de menores.

No Cabo de Santo Agostinho, foi cumprido o mandado de prisão temporária de um homem de 38 anos de idade, suspeito de praticar estupro de vulnerável e filmar as imagens de abuso cometido contra criança de seu convívio, que foi identificada durante as diligências. Durante a ação policial, o indivíduo também foi preso em flagrante por armazenar imagens e vídeos contendo cenas de abuso sexual infantil em um notebook, que foi apreendido em sua residência e será submetido a exame pericial.

A depender dos resultados das diligências e dos exames periciais, o investigado responderá pela prática dos crimes de produção, divulgação e armazenamento de conteúdo pornográfico infantil, além de estupro de vulnerável. Somadas, as penas podem variar de 16 a 33 anos de reclusão.

No Recife, um homem de 32 anos também foi preso em flagrante por posse de arquivos contendo imagens de abuso sexual infantil. Os crimes sob suspeita são o armazenamento e a divulgação de conteúdo pornográfico infantil. Em se confirmando ambos os delitos, as penas somadas podem chegar a 10 anos de reclusão.

Os presos serão submetidos a audiências de custódia, que deverão ser realizadas amanhã. Todo o material apreendido será submetido a exame pericial, com o fim de encontrar evidências dos crimes relacionados ao abuso sexual infantil por meio da internet.