AUTO VIP

AUTO VIP

TEFNET

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

CASA DO CAMPÔNES

CASA DO CAMPÔNES

GIVALDO RECON PEÇAS

GIVALDO RECON PEÇAS

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

COLUNA HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA



A LEI DO CRIME!

Nos últimos três meses, quatro homens, até então considerados como intocáveis na cúpula do PCC (Primeiro Comando da Capital), foram assassinados por determinação da própria facção criminosa. Entre estes, estão Edilson Borges Nogueira, o Birosca, Rogério Jeremias, conhecido como Gegê do Mangue, Fabiano Alves de Sousa Paca, o Paca e Wagner Ferreira da Silva, o Cabelo Duro.

Em Dezembro do ano passado, o Birosca, amigo íntimo do líder máximo do PCC, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, foi morto dentro da penitenciária de Presidente Venceslau, onde vive a abóbada da facção paulista. No dia 15 desse mês, Gegê e Paca foram assassinados em Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza (CE). Conhecidos por ostentarem uma vida luxuosa, cercada de festas, carros e casas de alto padrão, teriam despertado a atenção de outros setores da organização criminosa, somado a disputas internas no PCC.

Uma semana após as mortes de Gegê e Paca, outro líder da facção criminosa, que era diretamente ligado a eles, foi assassinado com tiros de fuzil em frente a um hotel na zona leste de São Paulo. Wagner Ferreira da Silva, o Cabelo Duro, comandava a facção na Baixada Santista. O mesmo tinha um mandado de prisão preventiva, expedido no mesmo dia de sua morte, pela justiça do Ceará, por suspeita de participação nos assassinatos.

O que nos fica evidente é que existe um conflito interno no PCC, e que possivelmente as execuções são, o método utilizado para extinguir os problemas, a fim de evitar uma ruptura no crime organizado, como tentativa de manter a unidade da facção criminosa. A lei do crime tem um preço muito alto, e sua fatura em algum momento, chegará! Diante dos fatos vivenciados, podemos destacar a dimensão de atuação do PCC, que ultrapassa as fronteiras de um estado, sendo assim, um imenso desafio para o governo, em suas diferentes esferas.

Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Hora da Cidadania, que é divulgada todas as segundas-feiras. Você pode dar sugestão de temas, fazer críticas e elogios através do e-mail: ericklessa04@gmail.com.
COLETIVO TURISMO