TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CENTRAL BURGUER

CENTRAL BURGUER

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

sábado, 6 de fevereiro de 2016

POLICIAL MILITAR É PRESO FARDADO EM CARUARU, MAS É LIBERTADO ALGUMAS HORAS DEPOIS.



 


Nesta quinta-feira (04) por volta do meio dia, três adolescentes estavam cheirando thinner em frente a Câmara Recursal do Tribunal de Justiça de Pernambuco, em Caruaru, quando o soldado Mário Augusto da Polícia Militar que estava de serviço, chamou a atenção dos infratores para que se retirassem do local, ou caso permanecessem seriam apreendidos e levados a delegacia, mas os menores ficaram perturbando e quando o PM voltou eles saíram correndo, só que um deles ao pular uma cerca do cenário do Polo da Estação acabou caindo e na queda fraturou o braço e os colegas o levaram a Câmara, onde o desembargador de plantão Dr. Ulisses Viana, deu voz de prisão ao policial e solicitou uma guarnição para levá-lo a delegacia sob a acusação de ter lesionado o adolescente de 17 anos e isso causou uma grande revolta na tropa da PM, tendo alguns policiais ido a frente da 1ª Delegacia, onde foi realizado o procedimento, no qual o PM foi autuado em flagrante pelos crimes de lesão corporal grave e abuso de autoridade. Mesmo chateados com a prisão do colega os PMs não interferiram no procedimento da autoridade policial e voltaram para suas casas.

A revolta dos PMs é a inversão de valores e o comandante do 4º BPM Tenente Coronel Roberto Galindo, afirmou que esse foi um caso isolado e isso nem vai desmotivar a sua tropa, tampouco criará alguma rusga entre as policiais Militar e Civil.


Ainda durante a noite de ontem o Deputado Estadual Joel da Harpa, que é Cabo da PM reformado, veio a Caruaru em apoio ao colega e através das redes sociais convocou os PMs para fazerem uma mobilização em frente ao Fórum Dr. Demóstenes Veras. 

O advogado do policial, Dr. Eduardo Florêncio, entrou com um pedido de relaxamento da prisão através de um  Habeas Corpus e o seu pleito foi aceito pela justiça e para felicidade da tropa o policial foi posto em liberdade através de uma Medida Cautelar.