POUSADA DA PAIXÃO

POUSADA DA PAIXÃO

COMERCIAL JR

COMERCIAL JR

VIP

VIP

RC TECIDOS

RC TECIDOS

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

MANDACARU PERSONALIZAÇÃO

NORDESTE MOTOS

NORDESTE MOTOS

quinta-feira, 28 de abril de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE OS LATROCIDAS QUE MATARAM CASEIRO NO SÍTIO ARAÇÁ EM CARUARU.


Osni Amorim, foi quem deu o cavalo e é o dono da arma.
"Edinho" que saiu do presídio há apenas um mês, foi o executor do crime e confessou o delito.
Alauriano, foi morto com um tiro no peito.


Na manhã desta quarta-feira (27), policiais civis da 19ª Delegacia de Homicídios de Caruaru, prenderam no sítio Cipó, na zona rural da Capital do Agreste, Edson Batista da Silva, vulgo “Edinho” de 30 anos e Osni Amorim da Silva, de 38 anos, que moram no sítio Cipó. Eles que são ex-presidiários por tráfico, são acusados de terem matado na noite do último domingo (24) em um restaurante no sítio Araçá, próximo ao sítio Muricí, na zona rural de Caruaru, o caseiro, Alauriano Catanho da Silva, de 24 anos, que foi morto com um tiro no peito.

O delegado do caso, Dr. Altemar Mamede, que estava na Força Tarefa de Homicídios no fim de semana e foi ao local do crime, disse que o Osni é o dono do revólver calibre 38 usado no latrocínio e da motocicleta usada na fuga, mas o mesmo conseguiu se desfazer da arma e na noite do crime foi com o comparsa ao restaurante para cometerem o assalto, ele ficou na moto a uma certa distância, enquanto o comparsa foi ao estabelecimento e anunciou o assalto, mas nesse momento a vítima estava no banheiro e quando ao ouvir um barulho deixou o reservado e quando saiu, pelo simples fato de está mexendo na braguilha foi assassinado pelo “Edinho” que continuou subtraindo os pertences dos clientes e o dinheiro do apurado do restaurante somando mais de mil Reais, em seguida ainda pegou algumas bebidas colocou num saco e fugiu com o comparsa. O delegado solicitou as prisões dos criminosos á justiça que expediu as Preventivas e ambos foram recolhidos á Penitenciária Juiz Plácido de Souza.


Os acusados prestaram depoimento, nos quais o Osni negou qualquer participação no crime, ele disse que foi com o “Edinho” na cena do crime porque ele pediu para que o levasse no restaurante para vê o primo e mesmo vendo a correria e o amigo saindo do local com um saco não desconfiou, esperou ele subir na garupa da moto e voltaram para o sítio Cipó, mas o “Edinho” confessou o crime e disse que as bebidas foram usadas na noite do domingo, a arma que pertence ao Osni foi devolvida a ele e o dinheiro subtraído do estabelecimento foi dividido com o comparsa. Os dois já haviam sido presos por tráfico, inclusive o “Edinho” saiu da penitenciária há apenas um mês.