TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

COLUNA HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA


MAIS ARTE E MENOS LIBERTINAGEM!

Na última terça-feira (26) o Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo apresentou uma “performance” denominada “La Bête”, inspirada num trabalho de Lygia Clark. A tal exposição é chamada em português de “Bichos”, sendo considerada pelos idealizadores uma suposta obra viva, com a intenção de ultrapassar os limites da superfície do quadro.

Surpreende a grande maioria da sociedade brasileira, uma tradicional exposição, a Bienal, conhecida em todo mundo por expor obras de arte do nosso país, estando no trigésimo quinto ano, e diga-se nunca em toda sua história, provocou tanta revolta nas famílias brasileiras, e não sem razão, ao nosso sentir.

A tal exposição artística trazia um sujeito de nome Wagner Schwartz completamente despido, sendo visto e tocado por adultos e crianças que estavam visitando a amostra sem qualquer nível de controle no acesso àquele espetáculo de perversão, num frontal ataque às famílias brasileiras.

Há menos de um mês, dessa vez na capital gaúcha, também sob o pretexto de obra de arte, o banco Santander apresentou uma amostra com imagens que davam a entender crianças mantendo relações sexuais forçadas com adultos, imagens de relações sexuais entre pessoas e animais, além de outras várias representações totalmente inadequadas, que só após intensa manifestação da sociedade civil organizada e até de algumas autoridades, foi retirada pela instituição financeira, que inclusive perdeu milhares de clientes pela tal amostra cultural.

Não dá para compreender esse tipo de manifestação que expõe crianças, adolescentes e famílias a uma ação libertina, sem qualquer mensagem artística, pelo contrário, que visa perverter a compreensão infantil do sexo e do nu, levando a deturpação do desenvolvimento sadio das nossas crianças.

A sociedade não pode aceitar que, sob o manto de uma falsa arte moderna, esse tipo de exposição deturpe a mente, os valores e os princípios da família brasileira, principalmente nossas crianças e adolescentes que são suscetíveis de serem influenciados, por essas ações inoportunas e prejudiciais a nossa sociedade.


Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Hora da Cidadania, que é divulgada todas as segundas-feiras. Você pode dar sugestão de temas, fazer críticas e elogios através do e-mail: ericklessa04@gmail.com.

CASA DA ESFIHA