TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

DONA MACAXEIRA

DONA MACAXEIRA

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

segunda-feira, 22 de maio de 2017

COLUNA A HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA

Resultado de imagem para erick lessa

CONVERSA COMPROMETEDORA ENTRE AÉCIO NEVES E GILMAR MENDES.

Um diálogo, divulgado essa semana, envolvendo dois grandes figurões da República brasileira chamou muita atenção pela maneira sórdida que estava sendo tratado um projeto, que tramita no Senado Federal, para alterar a Lei de Abuso de Autoridade. Eram eles Gilmar Mendes, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e atual presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e o senador Aécio Neves, que foi candidato a presidente da República nas últimas eleições de 2014, alcançando mais de 51 milhões de votos, no segundo turno numa disputa entre ele e a ex-presidente Dilma Roussef impedida de ocupar o cargo de presidente, por meio de impeachment, que ocorreu há um ano atrás.

Vamos divulgar pequeno trecho, da chamada, transcrita pela PF, através de interceptação telefônica do terminal telefônico do senador, autorizada pelo STF, que durou um minuto e 36 segundos. Leia a transcrição feita pela Polícia Federal:

* Aécio Neves: Oi, Gilmar. Alô.

* Gilmar Mendes: Oi, tudo bem?

* Aécio: Você sabe um telefone que você poderia dar que me ajudaria na condução lá. Não sei como é sua relação com ele, mas ponderando... Enfim, ao final dizendo que me acompanhe lá, que era importante... Era o Flexa, viu? [Aécio se referia ao senador Flexa Ribeiro]

* Gilmar: O Flexa, tá bom, eu falo com ele.

* Aécio: Porque ele é o outro titular da comissão, somos três, sabe?... Né...
* Gilmar: Tá bom, tá bom. Eu vou falar com ele. Eu falei... Eu falei com o Anastasia e falei com o Tasso... Tasso não é da comissão, mas o Anastasia... O Anastasia disse “Ah, tô tentando... [incompreensível]...” e...

* Aécio: Dá uma palavrinha com o Flexa... A importância disso e no final dá sinal para ele porque ele não é muito assim... De entender a profundidade da coisa... Fala ó... Acompanha a posição do Aécio porque eu acho que é mais serena. Porque o que a gente pode fazer no limite? Apresenta um destaque para dar uma satisfação para a bancada e vota o texto... Que vota antes, entendeu? (...)

O senador Aécio estava solicitando que o ministro intervisse junto a um outro senador, a fim de convencê-lo a votar a favor do projeto, para atender os interesses pessoais do tal senador e de seu grupo, que tem como intenção dificultar o trabalho da Operação Lava Jato, pois incluiria como crime, se o projeto fosse aprovado, uma série de condutas praticadas por magistrados, promotores, investigadores, na condução de uma investigação e processo criminal.

Registre-se que foram divulgados outros vários trechos de ligações telefônicas, onde o senador dentre três palavras fala um palavrão, crítica autoridades, enfim deturpa sua função, nos diálogos interceptados com autorização da justiça, e tem uma conduta não condizente com o cargo que ocupa.

Estamos lidando com um quadro extremamente deprimente na seara política e na própria justiça nacional, com fatos realmente de polícia, onde a irmã e o primo do senador Aécio Neves, foram presos, suspeitos de receberem de Joesley Batista, dono da rede de frigoríficos a quantia de R$ 2 milhões de reais, a título, segundo o próprio empresário, de propina, e o senador afirma que seria um empréstimo que teria solicitado ao milionário, como amigo, exatamente para pagar advogados que trabalham na defesa de Aécio nas várias investigações a que ele responde.

Além disso, toda a lama divulgada incessantemente pela mídia essa semana, que passou, envolvendo também o presidente da República, que recebe esse mesmo empresário após às 22h, na residência da presidência, sem registro na agenda oficial, e para que esse reportasse vários crimes que estava cometendo ao presidente da República, e o chefe da nação concorda e assevera com várias práticas reportadas, inclusive a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, preso pela Lava Jato, por corrupção, lavagem de dinheiro e outros crimes.

Mesmo diante desse quadro, nós da coluna Hora da Cidadania, acreditamos que o país está sendo passado a limpo e temos uma importante oportunidade de mudar esse quadro político nacional, nas próximas eleições diretas, sejam elas convocadas pelo congresso nacional, sejam, como previsto, as de 2018.

Concluo essa coluna da semana com um pensamento do filósofo contemporâneo em análise do quadro atual, Mário Sérgio Cortella: “Não podemos perder o foco do que o que vivemos hoje no Brasil não é o auge da sujeira, mas o começo da limpeza.”


Fica a reflexão. Fique atento à próxima edição da Hora da Cidadania, que é divulgada todas as segundas-feiras. Você pode dar sugestão de temas, fazer críticas e elogios através do e-mail: ericklessa04@gmail.com.

TABOSA