TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

DONA MACAXEIRA

DONA MACAXEIRA

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

INOCENTADOS EM JULGAMENTO NO RECIFE, DOIS DOS ACUSADOS DA CHACINA NUM ACAMPAMENTO SEM TERRA EM SÃO JOAQUIM DO MONTE

Esta foto mostra as vítimas da chacina.
Resultado de imagem para chacina dos sem terra em são joaquim do monte

Foram julgados nesta quarta-feira (06), na 4ª Vara do Júri do Fórum Tomaz de Aquino, no Recife, dois dos acusados da chacina dos Sem Terra, ocorrida no dia 21 de fevereiro de 2009, na Fazenda Jaboticaba, na zona rural de São Joaquim do Monte, na qual foram assassinados os seguranças da fazenda, João Arnaldo da Silva, de 40 ano; Wagner Luiz da Silva, de 25 anos; Rafael Erasmo da Silva, de 20 e José Wedson da Silva, de 20 anos.
Resultado de imagem para chacina dos sem terra em são joaquim do monte

Seis integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, são acusados de terem cometido a chacina, Aluciano Ferreira dos Santos, de 40 anos; Antonio Honorato da Silva, conhecido por 'Tonhão" de 61 anos; Homero Severino da Silva; Paulo Alves Cursino; Severino Alves da Silva e Luiz Wagner Siqueira.

Hoje foram julgados apenas os réus, Aluciano Ferreira que era acusado de participação em dois dos homicídios, que foi defendido pelos advogados do MST que vieram de São Paulo, já o Antonio Honorato que era acusado de participação nas quatro mortes, preferiu contratar os advogados caruaruenses Artur Ramos e Ricardo Alexandre e os advogados conseguiram a proeza de inocentá-los das acusações.

O julgamento foi desaforado de São Joaquim do Monte para a capital pernambucana, em virtude de ter sido um caso de repercussão nacional e de grande comoção popular, por isso teria que ser realizado num local fora da cidade e com um super esquema de segurança.

O Dr. Artur Ramos, informou que o seu cliente passou mais de sete anos preso e agora a defesa irá entrar com uma ação contra o Estado para que o seu cliente seja indenizado, por ter sido preso injustamente. Ele disse que já havia conseguido que o cliente fosse libertado da prisão em meados desse ano.