AUTO VIP

AUTO VIP

TEFNET

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

LENO PEÇAS

LENO PEÇAS

CASA DO CAMPÔNES

CASA DO CAMPÔNES

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

COLUNA HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA

Resultado de imagem para hora da cidadania

ARMAS CONTRA A CORRUPÇÃO.

O dia 9 de dezembro foi escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como dia internacional de combate à corrupção.

Os prejuízos da corrupção são gigantescos e as cifras surrupiadas dos cofres públicos são astronômicas. Há quem fale em quase 500 bilhões de reais só descobertos na Lava Jato, inclusive com aproximadamente a metade desse valor, desviado através de empréstimos junto ao BNDES, só para a empresa JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, com inúmeras falcatruas e acordos de repasse de porcentagem desses recursos para grandes figurões da República, muitos deles investigados, processados, sentenciados e até presos atualmente, pelo trabalho sério e combativo de órgãos como a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça Federal.

Em meio a esse debate, uma das instituições protagonistas no combate à corrupção no Brasil, o MPF realizou um evento na última semana, em que a atual chefe do MPF, a procuradora geral da República, Raquel Dodge afirmou que irá redobrar o combate à corrupção, em sua gestão à frente do Ministério Público Federal. Sua declaração deu-se em um evento, dos muitos realizados na última semana, em referência ao dia internacional de combate à corrupção.

Também foi assinado um pacto contra a corrupção, no citado evento, que reuniu o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o MPF e várias outras entidades, cujo principal compromisso foi de atuar de forma integrada para combater esse severo mal que assola e prejudica o Brasil. A primeira iniciativa do pacto foi a criação de um comitê permanente de cooperação entre as instituições, com o objetivo de prevenir e reprimir a corrupção eleitoral em 2018.

Além disso, outro componente primordial para redução desse mal, é a transparência dos gastos públicos, dos recursos que entram nos cofres dos poderes executivo e legislativo, para que a sociedade tenha acesso as informações para acompanhar efetivamente como os gestores gastam os recursos públicos e possam, com isso, usar a arma mais importante e eficaz para o combate à corrupção, que é o voto certo, sem compra ou venda, honesto, em um candidato com um passado digno e de correção e respeito ao dinheiro público.

A sociedade tem papel fundamental na luta contra o crime do “colarinho branco”, na fiscalização dos atos de seus representantes e na escolha adequada, desses que dirigirão os destinos dos municípios, estados ou da nação, seja no legislativo ou no executivo.
Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Hora da Cidadania, que é divulgada todas as segundas-feiras. Você pode dar sugestão de temas, fazer críticas e elogios através do e-mail: ericklessa04@gmail.com.
COLETIVO TURISMO