TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

DONA MACAXEIRA

DONA MACAXEIRA

AGRESTE CENTRAL PERNAMBUCO

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

COLUNA HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA


ESTUPRADOR SOLTO, JÁ FOI DETIDO 17 VEZES POR CRIMES SEXUAIS.

O homem que ejaculou sobre uma mulher em um coletivo, na capital paulista, foi solto por uma decisão de um juiz, que afirmou não ter havido violência ou constrangimento contra a vítima. Esse fato ocorreu na última terça-feira (29AGO).

Já no último dia 02 de setembro de 2017, o mesmo indivíduo acabou por esfregar o pênis em uma empregada de 39 anos, em um coletivo, na mesma cidade. Dessa vez, a justiça entendeu que ele cometeu o crime de estupro e foi mantido preso. A decisão foi prolatada no dia de ontem (03).

A justiça precisa estar antenada com o que ocorre no mundo real, pois um indivíduo que foi detido 17 vezes, pela suspeita da prática de crimes sexuais, não tem como ficar à solta, pois pode a qualquer momento fazer outra vítima, trazendo grave constrangimento, terror, além de provocar prejuízos e sequelas às vítimas.

O país precisa ser reavaliado em suas diversas esferas de poder, e um dos últimos refúgios do cidadão de bem, quando os serviços públicos de educação, saúde, social entre outros, não são devidamente prestados à população, é a polícia e, por via de consequência, a justiça, que é o local onde desemboca todos os feitos criminais, que nascem em sua maioria absoluta na seara policial.

As demandas que são levadas ao crivo do poder judiciário devem ser decididas, com base nas provas produzidas nos autos processuais, e tendo como razão principal de existir, a pacificação da sociedade tão sofrida pela falta de ética, moralidade e respeito com os cidadãos do nosso país por parte de grande parte dos governantes e políticos profissionais, que deixou o nosso Brasil nessa grave crise ética, e também nesse absurdo nível de violência.

Num caso de estupro como o reportado, crime de natureza hedionda, a sociedade espera que o poder judiciário aplique a lei, e retire de circulação indivíduos que em tanto trazem prejuízo à sociedade, e não deixe à solta podendo cometer outra atrocidade um indivíduo, que já foi preso 17 vezes, suspeito de crimes de cunho sexual.


Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Hora da Cidadania e envie sua opinião, crítica ou elogio para o e-mail: ericklessa04@gmail.com.
TABOSA