ANUNCIE SUA MARCA AQUI! ENTRE EM CONTATO!

ANUNCIE SUA MARCA AQUI! ENTRE EM CONTATO!

quinta-feira, 16 de março de 2023

POLÍCIA CIVIL PRENDEU GERENTE DE GRANJA EM FREI MIGUELINHO ACUSADO DE MANTER FUNCIONÁRIOS EM SITUAÇÃO ANÁLOGA Á ESCRAVIDÃO

 

















Na manhã desta quarta-feira (15), foi montada uma operação conjunta entre policiais da 132ª Circunscrição Policial (Delegacia de Frei Miguelinho) e a Delegacia Seccional de Limoeiro, que resultou na prisão de, José Edson de Freitas, que é gerente de uma granja no Sítio Gavião na zona rural de Frei Miguelinho. Ele foi levado á delegacia de Frei Miguelinho, onde autuado em flagrante pelo crime análogo ao trabalho escravo, crime que não cabe fiança e será apresentado hoje na audiência de custódia.


De acordo com o delegado Dr. Humberto Pimentel, que é o titular da Delegacia de Cumaru, mas que também acumula a Delegacia de Frei Miguelinho, a sua equipe foi acionada pelo Disque 100, para apurar uma granja, que estaria mantendo os dois únicos funcionários sob condição análoga ao trabalho escravo, foi solicitada a participação da equipe da seccional, que junto com a sua equipe foram apurar a denúncia e ao chegarem na granja constataram que os dois únicos funcionários eram mantidos em condições sub-humanas com jornada excessiva de trabalho, como jornada diária de 12 horas sem folga, tendo que comprar os próprios alimentos e situação higiênica precária, como ter que beber água de barreiro, conviver com ratos que chegavam a roer as roupas e cobertores e não tem sequer banheiro, inclusive um desses funcionários que mora num quartinho ao lado de um dos galpões, guardava os alimentos dentro de baldes para não serem comidos pelos ratos. O proprietário só não foi preso por está viajando, está em São Paulo, mas foi indiciado.


O novo Delegado Seccional de Limoeiro, Dr. Júlio Porto, falou do desempenho das equipes das 14 delegacias da área de sua seccional e que qualquer denúncia poderá ser realizada através desse QR CODE. Falou da importância da população que foi graças a essa denúncia que a Polícia Civil libertou esses trabalhadores dessas condições degradantes.