AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

GBest SPORT

1ª VAQUEJADA PARQUE FERNANDO LUCENA

1ª VAQUEJADA PARQUE FERNANDO LUCENA

quarta-feira, 26 de junho de 2019

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUSA



VIOLÊNCIA DE GÊNERO: PRECISAMOS FALAR!

Assédio, exploração sexual, estupro, tortura, violência psicológica, agressões por parceiros ou familiares, perseguição, feminicídio. Sob diversas formas e intensidades, a violência contra as mulheres é recorrente e presente em muitos países, motivando graves violações de direitos humanos e crimes hediondos.

No último dia 21, em Caruaru, a Secretaria de Defesa Social deflagrou a Operação Libertas II, através da Diretoria Integrada Especializada – DIRESP, sob a presidência da Delegada Jimena Gouveia. Na ocasião, foram cumpridos 7 mandados de prisão e 4 Medidas Cautelares de Monitoramento Eletrônico, expedidos pelo Juiz da Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Comarca de Caruaru. Na execução, foram empregados 50 Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães.

O medo ainda representa a principal barreira para que a mulher quebre o ciclo da violência em tempo oportuno. Por muitas vezes, a fragilidade a qual se encontra aliada as constantes ameaças, levam a tardar a denúncia. A exemplo do caso ocorrido no dia 24, na cidade de Recife, onde a Agente de Saúde Márcia Araújo Severino da Silva (44), após discussão com seu companheiro, o pedreiro Fábio Lourenço da Silva, foi empurrada da laje do apartamento do casal. Márcia chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel, mas não resistiu aos ferimentos. Amigas da vítima relataram que a Agente de Saúde sofria constante violência doméstica.

No mesmo dia 24, a esposa do deputado estadual Marco Aurélio (PRTB) prestou uma queixa contra o marido, alegando ter sofrido violência. Segundo ela, já são dez agressões físicas sofridas, fora as psicológicas. O parlamentar afirma que o relacionamento passa por um desgaste, que houve uma discussão, porém que jamais a agrediu e que a mesma havia ficado descompensada após o pedido de divórcio. A Polícia Civil abriu inquérito e investiga o caso.

No dia anterior aos fatos citados, um jovem de 23 anos foi assassinado ao defender sua mãe, vítima de violência doméstica. O filho ao ver a mãe ferida com uma garrafa na face e recebendo socos de seu companheiro, tentou defender e foi esfaqueado no local. O crime também aconteceu na cidade de Recife. Em Pernambuco, em Maio deste ano, houve 3.439 casos de violência doméstica e familiar contra a mulher. Quando comparado ao mesmo período do ano passado, ocorreu uma redução de 0,8%, pois foram registradas 3.468 ocorrências. Mesmo com uma redução, os números ainda são elevados e assustadores. Até quando iremos sofrer com esse tipo de violência? Precisamos falar sobre!

Essa foi minha opinião de mulher de hoje. Participe conosco enviando suas dúvidas, questionamentos e sugestões para dra.nayarasousa@hotmail.com.