TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

COLUNA A HORA DA CIDADANIA COM O DELEGADO ERICK LESSA


CONGRESSO QUE ENVERGONHA O PAÍS.

Passamos por tempos muito difíceis em nosso país. Em meio ao inédito pedido, feito pelo Procurador Geral da República, de autorização da Câmara dos Deputados para investigação no STF do presidente da República, acusado de ser o destinatário de uma propina semanal de R$ 500 mil reais, por um período de 20 anos, totalizando o valor médio de R$ 480 milhões de reais, a votação que ocorreu essa semana apresentou vários fatos que chamaram atenção dos cidadãos do nosso país, principalmente e lamentavelmente pelo lado negativo, dos que deveriam ser os legítimos representantes do povo.

Dentre os vários fatos deprimentes registrados durante a sessão, traremos na coluna de hoje o caso do polêmico deputado federal Wladimir Costa (SD-PA), que ficou conhecido por ter tatuado o nome do presidente Temer, no ombro direito. Ele foi flagrado no último 2 de agosto, pedindo um “nude” a uma mulher por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. A justificativa do parlamentar foi que a mensagem era uma resposta a um “pedido insistente” da moça para ver sua tatuagem no plenário.

A interlocutora rebateu a mensagem do deputado, dizendo: “você poderia perder seu valioso tempo com coisas mais interessantes”.

Não dá para entender como, no meio de uma sessão tão importante da Câmara dos Deputados, que poderia mudar os destinos do chefe do governo do nosso país, um deputado federal, eleito democraticamente pelos cidadãos do seu Estado, pode gastar seu tempo em questões tão diminutas ao invés de estar atento as discussões e deliberações, que eram tratadas naquele momento.

A única justificativa que encontramos é que vivemos um dos piores momentos da história, em termos de representação no congresso nacional, pois num congresso onde já passaram figuras tão importantes e destacadas no cenário nacional, como Ulysses Guimarães, para citar apenas um, pela luta em favor da democracia, das causas sociais e populares, esses atuais representantes mancham a biografia do congresso nacional e dos próprios brasileiros, povo batalhador e que se reinventa todos os dias, para apesar dos despautérios cometidos em Brasília, levar a frente a nação.

Que no ano de 2018 possamos, como cidadãos, ficarmos mais atentos aos políticos que elegemos para nos representar nas casas legislativas e no executivo do nosso país.


Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Hora da Cidadania e envie sua opinião, crítica ou elogio para o e-mail: ericklessa04@gmail.com.

COLETIVO TURISMO