AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

EMPRESÁRIO DE RIACHO DAS ALMAS FOI PRESO PELA POLÍCIA CIVIL E É ACUSADO DE COMPRAR CARGAS DE TECIDOS ROUBADAS

 


Um empresário identificado como Cícero Aparecido, conhecido por “Índio” ou “Cicinho”, que mora no Sítio Alto dos Moços, na zona rural de Riacho das Almas, foi um dos alvos da Operação Sob Medida, que foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (19), pela Delegacia da Polícia Civil de Toritama. Além do empresário que possui um fábrica de confecções, foi preso um assaltante em Santa Cruz do Capibaribe e cumpridos quatro mandados de busca e apreensão domiciliar, sendo um deles em Caruaru.



No final da manhã foi realizada uma coletiva de imprensa no auditório da Dinter-1 – Diretoria Integrada do Interior 1, da qual participaram o delegado chefe da GCOI – Gerência de Controle Operacional do Dinter-1, Dr. Bruno Vital e o presidente da investigação e delegado titular da 129ª Circunscrição Policial de Toritama, Dr. Eymard Coutinho, que passaram os detalhes para a imprensa.

Dr. Bruno Vital, disse que essa foi a 3ª Operação de Repressão Qualificada do mês na região de Caruaru e que tem sido recorrentes os crimes cometidos por essa organização criminosa, especializada em roubos de cargas de tecidos. Ele falou ainda que esta foi a 63ª Operação de Repressão Qualificada do ano no estado.

O delegado Dr. Eymard Coutinho, detalhou que vinha investigando esses elementos desde o mês de junho desse ano após realizar a prisão de três assaltantes tentando assaltar um fabrico em Toritama e com autorização da justiça grampeou os celulares dos marginais e descobriu que eles constantemente se comunicavam com o empresário, que esses bandidos presos são integrantes de uma quadrilha formada por sete marginais, que são especializados em roubos de cargas de tecidos e que essas cargas eram vendidas ao empresário. O delegado falou que o empresário foi preso em casa, onde foi encontrada a quantia de 93 mil reais, milhares de confecções em jeans de origem duvidosa, havia também um revólver calibre 38 escondido na mercadoria e dois carros de luxo e todo esse material foi apreendido e levado para a Delegacia de Toritama, onde foi lavrado o flagrante por posse ilegal de arma de fogo e após a lavratura do procedimento os dois elementos foram encaminhados ao presídio de Santa Cruz do Capibaribe. Foram necessários três veículos para transportar a mercadoria apreendida até a delegacia de Toritama. O delegado disse ainda que o empresário declarou no Imposto de Renda, que tem um faturamento de 1.700 reais mensais, foi solicitado o relatório do COAF – Conselho de Controle de Atividades Financeiras do Banco Central, que constatou que ele movimentou transações bancárias no ano passado de mais de um milhão e meio de reais.









Os imputados vão responder pelos crimes de Posse Ilegal de Arma de Fogo, Lavagem de Dinheiro, Receptação Qualificada e Roubo Majorado. Além dos dois mandados de prisões foram cumpridos também quatro mandados de buscas e apreensões domiciliares, além das medidas cautelares de sequestro de bens e bloqueio de conta, todos expedidos pela Vara Única da Comarca de Toritama.

Na execução foram empregados 56 (cinqüenta e seis) Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães.

Salientando que o nome do empresário e a fotografia dele nós conseguimos por conta própria e nem os nomes e nem a fotografia foram enviadas pela Polícia Civil que cumpre a risca a Lei de Abuso de Autoridade.