AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

quarta-feira, 29 de junho de 2022

POLÍCIA FEDERAL DE SÃO PAULO DEFLAGRA OPERAÇÃO LAVAGEM DE OURO COM REPERCUSSÃO EM PERNAMBUCO

 







São Paulo/SP - A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram no dia 28/06, a Operação Lavagem de Ouro, para coibir a lavagem de dinheiro por parte de organização criminosa com atuação na extração e comércio ilegais de ouro. A partir de representação da Polícia Federal, foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão pela Justiça Federal em São Paulo, para endereços relacionados aos líderes do grupo investigado e aos principais intermediários atuantes na lavagem de ativos.

Os mandados foram cumpridos em nove estados da federação (São Paulo, Mato Grosso, Goiás, Pará, Paraná, Paraíba, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rondônia), mais o distrito federal, com a participação de 208 policiais federais e 14 auditores da Receita Federal. Além disso, a Justiça Federal determinou o bloqueio de contas de 40 investigados, no valor de até 614 milhões de reais.

Foram aprendidos, até o momento, aparelhos de telefonia móvel e computadores dos investigados, documentos relacionados ao comércio ilegal de ouro, além de ouro em diversos endereços.

Os crimes apurados são de lavagem de ativos (art. 1º, “caput”, e §2º, incs. I e II, da Lei 9.613/98), receptação qualificada (art. 180, §1º, Código Penal), falsidade Ideológica (art. 299 do Código Penal), redução do pagamento de tributos federais (art. 1º, inc. I, da Lei 8.137/90), dificultar a ação fiscalizadora ambiental do poder público, por meio da omissão no pagamento de compensação financeira pela exploração de recursos minerais – CFEM (art. 69 da Lei 9.605/98), promoção de organização criminosa (art. 2º da Lei 12.850/13) e usurpação de bem mineral da União (art. 2º, §1º, da Lei 8.176/1991).

No âmbito da operação Lavagem de Ouro, a Polícia Federal em Pernambuco deu cumprimento a 01 (um) mandado de busca  apreensão num endereço residencial que fica situado no bairro do Rosarinho/PE. O alvo foi um homem de 46 anos que teve seu aparelho celular apreendido e trabalha com uma empresa de jóias. Ele está sendo investigado em tese pelo crime de comércio de ouro bruto sem a devida autorização legal.