TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CENTRAL BURGUER

CENTRAL BURGUER

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

NORDESTE RASTREAMENTO 24H

terça-feira, 4 de julho de 2017

COLUNA CONHEÇA SEUS DIREITOS COM O ADVOGADO EDUARDO FLORÊNCIO


A ILEGALIDADE DO ACORDO TRABALHISTA PARA SER DEMITIDO

Muitas vezes ouvimos falar que pessoas fizeram um acordo trabalhista para ser demitido, sendo mais comum do que pensamos, este “acordo” entre patrão e empregado no qual há uma “demissão forjada”, na qual o empregado fica com o seguro desemprego e FGTS e é obrigado a devolver a multa de 40% para o empregador.

Desta forma, o empregador diminui as suas despesas com as verbas rescisórias e o empregado passa a receber o seguro-desemprego. Tal situação é uma fraude trabalhista, pois não está prevista em lei a sua existência e bate de frente com os direitos assegurados pela Consolidação das Leis do Trabalho, além disto, esse tipo de acordo é totalmente ilegal, pois sobrecarrega o órgão responsável pelo pagamento do seguro-desemprego sem necessidade e acaba sendo um “jeitinho” de driblar a lei, é aí que a situação se reverte contra o patrão e o empregado.

Se o empregado prestar os seus serviços com desleixo, não cumprir metas mínimas e atingíveis, faltar demais ao trabalho, poderá ser dispensado por justa causa por desídia, caso ele queira propor o acordo ou ainda, receba esta proposta, incorre em fraude trabalhista e fraude aos cofres públicos, onde existem punições tanto para o empregador quanto para o empregado.

O empregado será obrigado a devolver todas as parcelas do seguro desemprego recebidas indevidamente, e responderá processo criminal, já o empregador também responderá processo criminal e será aberto auto de infração e pagará multas, há entendimentos no sentido de que o acordo para ser demitido pode ser tipificado como crime de estelionato (art. 171 do Código Penal), podendo o empregado e os responsáveis legais da empresa sofrer pena de prisão de um a cinco anos e multa.

Caso a farsa seja descoberta, as empresas podem ser multadas de forma pesada pelos fiscais do trabalho e empregados forçados a devolver as parcelas do seguro desemprego que foram recebidas ilegalmente, como já citado acima.

Portanto, cumprir a Lei é mais que um dever, é uma obrigação do cidadão, pois o seu descumprimento acarretará uma verdadeira dor de cabeça em todos os aspectos.

O conhecimento de seus direitos, é fator primordial para um convívio social ético, com igualdade entre as partes.


Esta coluna está no ar todas as Terças, caso queira interagir conosco, é só enviar e-mail para: eduardoflorencio1@hotmail.com