AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

FOCUS CURSOS

FOCUS CURSOS

sábado, 29 de agosto de 2020

COLUNA CLUBE DO FILME COM MARY QUEIROZ

 


PANTERA NEGRA



Pantera Negra consagrou-se, ao trazer um contexto ousado, equilibrado e com uma profundidade emocional espetacular, ao contar a origem do herói.

In memorian ao ator Chadwick Boseman que morreu aos 43 anos, vamos falar do filme Pantera Negra (2018). Ele enfrentou um câncer de cólon diagnosticado em 2016 e mesmo assim, também neste mesmo ano, estreou no filme "Capitão América: Guerra Civil", pela primeira vez como T'Challa. Criado pela Marvel em 1966, o Pantera Negra foi o primeiro super-herói negro dos quadrinhos americanos. Pantera Negra foi sucesso de crítica e público, levando a história do herói de um reino africano fictício, a superar a marca de US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais. Ganhou três Oscar e foi indicado a outros quatro, entre eles, o de Melhor Filme. Como o herói, ele ainda participou de Vingadores: Guerra Infinita (2018) e de Vingadores: Ultimato (2019), e tinha presença confirmada em um novo Pantera Negra, previsto para 2022.

Pantera Negra é um filme diferente, com identidade própria, capaz de lidar com os mais diversos assuntos, abordando-os com inteligência e autenticidade. O filme narra T'Challa que, após os acontecimentos de Capitão América Guerra Civil onde seu pai morre, decide voltar para casa, nação africana de Wakanda para assumir sua função como Rei. Daí em diante, sua coragem é testada, o levando para um conflito que coloca o destino de Wakanda e do mundo em risco.

Este filme vem surpreender porque seu roteiro além de objetivo, consegue ser funcional. Foi bem elaborado para causar impacto e levar o espectador a adentrar num universo único e magnífico, principalmente quando foca em levantar questões sociais e políticas, afim de preestabelecer uma conexão com as mais diversas reflexões que serão introduzidas na trama. Tudo no filme foi conduzido com sagacidade e com propósito bem definido para desenvolver a importância do passado e da família, responsabilidade, laços, amizades, conflitos pessoais e políticos, revelações importantes, poder, força, caráter, liderança, exclusão, humildade, falta de oportunidades, ameaças de guerras, potências militares e atitudes extremistas. Um verdadeiro conjunto de fatos que deixaram a trama sensacional. Outro fato relevante é que ao introduzir a presença feminina, o faz com extrema delicadeza, tornando a representação das mulheres essenciais, dando o destaque merecido para cada uma delas, mostrando sua desenvoltura diante de cargos importantes.

Ao falar das atuações, podemos dizer que todas foram bem exploradas e extremamente coerentes com o que foi sugerido no filme. Pantera Negra/ T'Challa ( Chadwick Boseman), interpreta bem o papel, principalmente pela carga emotiva que seu personagem carrega com momentos de dúvidas, alegrias, frustrações, incertezas, motivações, ousadia, coragem e honra. Consciente e politizado mostra que tem a imponência e capacidade necessária para liderar e conduzir aquela nação com maturidade e responsabilidade. Erik Killmonger (Michael B. Jordan), nos tira o folego por ser um verdadeiro vilão com habilidades que o capacita enfrentar o herói com igualdade. Treinado durante toda sua vida para este momento tão esperado, carrega em sua essência, motivações fortes e importantes. Capaz de atos extremos para atingir êxito em seu objetivo e completar sua vingança, nos conquista porque vemos nele força, coragem e uma ameaça real. Em nenhum momento fraqueja ou se deixa se influenciar por diálogos racionais, que tentam convencê-lo do contrário. Já as atrizes dão um show com suas personalidades fortes Lupita Nyong'o (Nakia) sempre idealista, Letitia Wright (Shuri), cientista brilhante, Angela Bassett (Ramonda) rainha e mulher com autoridade e Danai Gurira (Okoye), general que lidera um exército de mulheres metódicas e racionais prontas para servir a nação. Todas são capazes de enfrentar crises e lutas com resistência e coragem. Este foi um dos pontos mais fortes do enredo porque todas atuam com magnitude, mostrando o quão grandiosos são os momentos onde todas mostram suas competências e habilidades, destacando bem o poder do sexo feminino fazendo jus a força e coragem que habita em cada mulher.

Ryan Coogler, dirige este filme com muita eficiência, principalmente porque temos um belo visual de cores, trilha sonora que casa perfeitamente com a sequências das cenas, figurino que valoriza a cultura da África. Com piadas e doses de humor bem planejadas , conseguiu modernizar as temáticas de acordo com a realidade atual, os efeitos visuais não são exagerados , mas necessários para o bom desenvolvimento das cenas de ação. Tudo no filme flui com agilidade e leveza, somando para que o filme se torne gostoso e não cansativo de ser ver. Falando tecnicamente é um filme primoroso em todos os aspectos e brilhante por produzir um verdadeiro espetáculo com tanta perfeição.

Pantera Negra é sem dúvida o melhor filme da Marvel, isso porque se completa quando junta origem, tradição, cultura, tragédia familiar, segredos não revelados, conflitos de geração, necessidades atuais, evolução, domínio de tecnologia e boas reviravoltas, além trazer um perfeito equilíbrio entre a razão e emoção. Autentico e inovador, o Pantera Negra reinará e habitará em nossas mentes para sempre.

 

 

PROGRAMA CLUBE DO FILME

 


Neste sábado, 13h, na Rádio Cultura do Nordeste, tem o seu programa de cinema CLUBE DO FILME, com temática Sobre Voluntariado. Comandado por Edson Santos e Mary Queiroz.

Pra falar dos filmes, os convidados Betto Moura, Alex  Vander e Cláudio Silva, estarão presentes nos estúdios da Cultura.

Acompanhe pelas nossas Redes Sociais:

www.radioculturadonordeste.com.br

Rádio Cultura do Nordeste

Ouça pelo site:  HYPERLINK "http://www.radioculturadonordeste.com.br"

www.radioculturadonordeste.com.br. Acompanhe ao vivo pela LIVE do Facebook:  HYPERLINK "http://www.facebook.com/RadioCultura1130" www.facebook.com/RadioCultura1130. Em Caruaru e região, sintonize 96,5