AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

FOCUS CURSOS

FOCUS CURSOS

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

COLUNA OPINIÃO DA MULHER COM A CONTADORA, PERITA CONTÁBIL E REPRESENTANTE DO GRUPO ORGULHO DOWN MANUELA LIMA

 

Olá amigos! A partir de agora estarei assumindo a Coluna Opinião de Mulher. A Professora e Enfermeira Nayara Sousa, está licenciada de suas atividades, pois é pré-candidata à Vereadora em Caruaru. Gostaria de compartilhar em nossa primeira Coluna, um tema muito importante!

ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: VAMOS ROMPER ESTE SILÊNCIO?

De acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), que trata dos direitos das crianças do nosso país, toda criança tem direito à proteção de uma família, seja natural ou adotiva, ou de um lar oferecido pelo Estado se, por infelicidade, ela perder os pais e parentes mais próximos. Além disso, ela não deve sofrer agressões físicas ou psicológicas por parte daqueles que são encarregados da sua proteção e da sua educação ou de qualquer outro adulto.

Apesar desse direito, a realidade é divergente, pois o último levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) ― feito com base nos dados de 2011 do Sistema de Informações de Agravo de Notificação do Ministério da Saúde (Sinan) ― mostrou que 70% das vítimas de estupro no Brasil são crianças e adolescentes. Só em 2018, o Brasil registrou 32 mil casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes, o maior índice de notificações já registrado pelo Ministério da Saúde.

Infelizmente, em muitos casos, o abusador faz parte do convívio da criança ou do adolescente, alguém da família ou pessoas que convivem no meio familiar (vizinhos ou amigos), o que dificulta que o crime seja descoberto, pois se trata de alguém em quem os pais depositam confiança e que eles jamais imaginariam que fizesse tal monstruosidade.

Por isso, se faz necessário que os pais e a escola estejam atentos aos sinais, como aparecimento de hematomas nos braços ou pernas, tristeza sem motivo, isolamento, agressividade, redução repentina do aproveitamento escolar, baixa autoestima e comportamento apático em sala de aula. Ao menor sinal, o “radar” deve ser ligado para que haja uma observação mais atenta.

Ouvimos com frequência que as crianças são o futuro da nação. Estamos cuidando delas? Zelando pelo meio onde vivem, com quem convivem? Estamos punindo quem comete abuso sexual  infantil? Essa responsabilidade é minha, é sua, é nossa.

 

ESSA FOI MINHA OPINIÃO DE MULHER DE HOJE. Acompanhe-me através das Redes Sociais: Instagram: manuelalima159 e Facebook: Manuela Lima