AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

FOCUS CURSOS

FOCUS CURSOS

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A CONTADORA, PERITA CONTÁBIL E REPRESENTANTE DO GRUPO ORGULHO DOWN, MANUELA LIMA

 


A PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O PODER PÚBLICO

Nesta semana, estamos vivenciando a Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. Por isso, vamos falar um pouco sobre a Lei Brasileira de Inclusão (LBI) ― mais conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência ―, já que nem todo mundo sabe que ela EXISTE e que é de EXTREMA importância para garantir os direitos das pessoas com deficiência no nosso país. Vamos enfatizar a responsabilidade de um ator especial: o setor público.

Os governos (municipais, estaduais e federal) têm papel essencial em promover a inclusão, devido ao seu grande poder de atuação e articulação. O poder público tem duas funções principais: guardar os direitos, além de enfrentar e superar as barreiras da acessibilidade.

Se você ler a Lei Brasileira de Inclusão, irá perceber que a maior responsabilidade do poder público é proteger os direitos da pessoa com deficiência. De acordo com essa lei, o governo precisa garantir hospitais e clínicas desenhados para atender às especificidades das pessoas com deficiências sensoriais, motoras e intelectuais; são necessários profissionais treinados e capacitados para atender essas pessoas. Além disso, o poder público deve garantir o acesso à justiça em qualquer posição, assegurar o atendimento prioritário em todos os serviços públicos e particulares e, nas escolas, manter práticas pedagógicas e professores que atendam às necessidades de alunos com deficiência, além de ofertar materiais inclusivos (em Libras e Braile).

A fim de que todos esses direitos sejam garantidos, é fundamental a atuação das prefeituras e dos estados. Mais do que isso, eles precisam estar sensibilizados às necessidades especiais que as pessoas têm quando usam os serviços públicos. É aí que entra o nosso dever de cidadão, exigindo serviços mais inclusivos e ESCOLHENDO REPRESENTANTES que valorizem os direitos das pessoas com deficiência! Por isso, pesquise, estude e pense quando for exercer o seu ato de cidadania. Saiba que o seu VOTO faz toda a DIFERENÇA.

ESSA FOI MINHA OPINIÃO DE MULHER DE HOJE. Acompanhe-me através das Redes Sociais: Instagram: manuelalima159 e Facebook: Manuela Lima