PREFEITURA DE CARUARU

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

sexta-feira, 3 de junho de 2022

PF E PRF DETÊM HOMEM COM 82,5 MIL MAÇOS DE CIGARRO ESTRANGEIRO EM ARCOVERDE

Suspeito pulou muro de casa e arremessou dinheiro e celulares durante a tentativa de fuga.


Um homem suspeito de contrabando foi detido, na quarta-feira (1), com 82,5 mil maços de cigarro estrangeiro, em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. A ação foi realizada durante a Operação Pitillo da Polícia Federal (PF), que contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, o homem pulou o muro da casa onde morava, jogou dinheiro e cinco celulares no chão para tentar fugir por uma área de mata, mas foi alcançado pelas equipes que atuavam na operação. Ao lado da residência dele, foi encontrado um depósito com centenas de caixas de cigarro de diversas marcas do Paraguai e dos Emirados Árabes Unidos.

O homem foi detido e encaminhado à Delegacia de Polícia Federal em Campina Grande, na Paraíba, que está à frente das investigações.

Operação Pitillo

A Polícia Federal, através da Delegacia de Campina Grande, deflagrou na quarta-feira (01/06), a Operação PITILLO, que objetivou dar cumprimento a 11 mandados de busca e apreensão expedidos pela 11ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Monteiro/PB. Os mandados foram cumpridos na Paraíba (Campina Grande e Monteiro), Pernambuco (Arcoverde) e Ceará (Fortaleza).



Também foram bloqueadas 11 contas bancárias. A ação policial contou com 40 policiais federais e oito policiais rodoviários federais de Pernambuco, que deram apoio às ações na cidade de Arcoverde/PE. A investigação visa apurar supostos crimes de contrabando de cigarro e lavagem de dinheiro, praticados por grupo com atuação em estados nordestinos.

Há quinze meses o trabalho investigativo foi iniciado, tempo que permitiu à Polícia Federal identificar diversos contrabandistas de cigarros atuantes na Paraíba e Pernambuco, além da existência de um esquema financeiro no estado do Ceará para movimentar recursos criminosos oriundos de dezenas de cidades de vários estados, e assim dificultar a identificação da origem e destino dos recursos criminosos destinados à compra e venda de cigarros contrabandeados.

Os investigados responderão pelos crimes de contrabando e lavagem de dinheiro. A operação foi batizada de “pitillo”, palavra espanhola que em português significa cigarro.