TEFNET

TEFNET

ERGO 30

ERGO 30

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

VIP

VIP

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

CLÍNICA SEMPRE SAÚDE

quinta-feira, 2 de março de 2017

QUADRILHA EXPLODE AGÊNCIAS BANCÁRIAS E FAZ REFÉNS EM CABO DE SANTO AGOSTINHO


A Polícia Militar prendeu, até o momento, três homens suspeitos de envolvimento na ação contra agências bancárias no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, nesta quinta-feira (2). Eles foram encaminhados para a sede do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), na Zona Sul do Recife. Armas, explosivos e carros ainda foram apreendidos. Segundo a polícia, pessoas foram baleadas e mortas durante o confronto.

Há a possibilidade de mais suspeitos presos, porém as polícias Civil e Militar informaram que só vão repassar detalhes e o balanço em um coletiva de imprensa marcada para a tarde desta quinta. Algemados, os homens chegaram ao Depatri na caçamba de um caminhonete e, depois, foram levados para fazer exame de corpo de delito.

Vítimas e testemunhas já foram levadas para depor na sede do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), na Zona Sul do Recife. Entre elas, há um homem que afirma ter sido feito de refém pelos criminosos.

As buscas continuam na região de canavial entre os municípios do Cabo e de Moreno, onde os reféns teriam sido liberados e os carros abandonados. Entre as armas apreendidas, as polícias já divulgaram três fuzis, uma submetralhadora e dois revólveres.

Sem se identificar, o segurança, que afirma ter sido refém, diz que foi abordado quando passava pelo Centro do Cabo. Ele teria sido ameaçado com uma arma. O segurança ainda relata que ele e outras pessoas, que estavam em um espetinho da cidade, foram obrigadas a ficar no meio da rua, gritando “sou refém, sou refém”.

Tiros e ônibus atravessado

A ação no Cabo de Santo Agostinho aconteceu por volta das 3h30 desta quinta (2). Para dificultar a chegada da polícia, um ônibus com trabalhadores foi interceptado e atravessado na antiga BR-101, paralela à Avenida Getúlio Vargas, onde ficam as agências.

Foram registradas explosões em dois bancos do Centro do município. Segundo a perícia, o alvo era o cofre dos locais. Os bancos ficam também próximos à sede da Defesa Social do município, onde ficam guardas municipais. O relato dos profissionais é de que a quadrilha fez diversos disparos contra o edifício, impedindo a saída dos que estavam de plantão.

(Do G1)