PREFEITURA DE CARUARU

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

domingo, 31 de janeiro de 2021

OSSADA HUMANA FOI ENCONTRADA NA ZONA RURAL DE CARUARU E A VÍTIMA POSSIVELMENTE FOI O JOVEM QUE FOI SEQUESTRADO NO BAIRRO DO SALGADO NO FINAL DO ANO PASSADO E HÁ INDÍCIOS DE QUE FOI EXECUTADO

 


A equipe DEAH – Divisão Especial de Apuração de Homicídios da AIS 14, foi acionada na tarde deste sábado (30), para ir verificar um corpo encontrado no Sitio Caldeirão, próximo ao Sítio Malhada de Pedras, na zona rural de Caruaru, tendo sido deslocado até o local onde foi possível verificar um cadáver, possivelmente, masculino, em avançado estado de decomposição e bastante dilacerado por ações de animais, tendo sido verificado que a referida pessoa tinha corte de cabelo, tipo moicano ou degradê, bem baixo nas laterais, usava aparelho ortodôntico superior e inferior, trajava camisa clara com três listras pretas nos ombros, chinelo branco tipo Havaianas com detalhes verdes, bermuda de tecido tactel colorida, com partes vermelhas e nome Smash, usava relógio prateado e cordão com crucifixo, tinha estatura mediana, dois dedos do pé direito haviam sido arrancados, não sendo possível afirmar se foi ação de animais ou tortura. Tinha uma perfuração na parte posterior esquerda da cabeça e saída na têmpora direita compatível com projétil de arma de fogo. Tinha um traço de tatuagem no braço esquerdo na parte inferior ainda preservado.

O corpo foi encaminhado para o IML do Recife, alguns parentes de indivíduos desaparecidos compareceram à DP para reconhecerem os objetos e foram encaminhados para coleta de material genético de DNA no IML do Recife.



Os familiares do jovem, Yuri Gomes Senhorinho, que foi seqüestrado no dia 15 de dezembro do ano passado, na Rua Presidente Sarmiento, no bairro Salgado, estão entre os familiares de pessoas desaparecidas no ano passado e reconheceram alguns objetos encontrados ao lado do corpo. Possivelmente o jovem foi seqüestrado pelos indivíduos que se passaram por policiais e o arrastaram e o mataram neste matagal.

Pelas evidências encontradas no cadáver, como pernas amarradas e a perfuração no crânio, o caso está sendo tratado como homicídio e eleva para oito assassinatos registrados no mês de janeiro, consecutivamente no ano de 2021.