AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

sexta-feira, 1 de maio de 2020

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUSA




LEITOS SOBRANDO EM PERNAMBUCO? HÁ QUEM AFIRME QUE SIM!

A COVID-19 se espalha em nosso país de forma devastadora. Segundo os dados compilados ontem, já temos quase 90 mil contaminados no Brasil e mais de 6 mil óbitos. O epicentro da doença é São Paulo, seguido de Rio de Janeiro e Pernambuco.

Um vírus com alto poder de disseminação e agravamento, que tem levado centenas de pessoas a buscarem atendimento nas emergências. Há dias se fala no colapso na saúde devido à ausência de leitos para atender uma demanda tão intensa.

O isolamento social no momento, é o único caminho para evitar que as pessoas adoeçam ao mesmo tempo. Na verdade, o adoecimento em blocos possibilita que os estados/municípios ganhem tempo para montar suas estruturas de suporte as vítimas, como exemplos: hospitais de campanha e planos de contingências para serviços funerários.

Sempre faltaram leito de Unidade de Terapia Intensiva. Sempre a Central de Regulação de Leitos sofreu para alocar pacientes. Nunca houveram “leitos sobrando” em nosso país e estado. Porém, em uma situação de pandemia, o problema é potencializado. Criar leitos é indiscutivelmente necessário.

Infelizmente, em um momento de crise feito esse, nos deparamos com quem afirme publicamente que está sobrando leitos em Pernambuco e que os que foram construídos não estão sendo utilizados. Certamente quem proferiu isso não conhece a realidade da Saúde Pública brasileira e não compreende absolutamente nada do contexto e manejo em situações de pandemias. Se espera que o parlamento utilize sua influencia para solucionar problemas e não propagar inverdades. Não temos leitos sobrando em Pernambuco, e os que foram construídos para atender aos pacientes com Coronavírus, estão sendo utilizados. E certamente, precisaremos de mais leitos, visto que os hospitais estão lotados e já tivemos transferência para Paraíba por não conseguir encontrar onde admitir o paciente.

É preciso que a população compreenda seu papel nesse momento. Não temos vacina, não temos medicamento comprovado quanto a sua eficácia, não temos estudos conclusivos sobre o comportamento exato do vírus. Estamos vivenciando o pico da pandemia. Nossos hospitais estão sobrecarregados, profissionais afastados pela contaminação, muitos óbitos que também estão levando ao colapso em outras áreas. Que possamos cumprir as determinações sanitárias, utilizar máscaras e manter o isolamento ao máximo possível.

Essa foi a minha Opinião de Mulher de hoje. Nos siga em nossas redes sociais.

Instagram: @nayara_gsousa e Facebook: Nayara Sousa