PREFEITURA DE CARUARU

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

COLUNA DO DELEGADO LESSA

 


O Polo de Confecções do Agreste hoje e seu futuro próximo

O fim do ano está chegando e, com ele, a renovação de sentimentos e o resgate da esperança. O hábito de comprar roupas novas e presentear amigos e parentes parece uma metáfora dos sonhos que são revestidos no coração das pessoas. É neste cenário que a movimentação no Polo Têxtil ganha ainda mais vida. Milhares de pessoas de várias regiões do Brasil vêm ao Agreste para adquirir peças de vestuário e o que se vê nas feiras e centros de compras é um fluxo comercial impressionante.            

É preciso salientar que o Polo de Confecções do Agreste é um dos fatores responsáveis pelo crescimento econômico acima da média nas últimas décadas. O agrupamento de iniciativas representa números gigantescos. É uma produção anual de oitocentos milhões de peças de vestuário, com uma movimentação financeira de aproximadamente cinco bilhões de reais.                                                   

Sabemos que esses números representam vidas e, pensando na proteção de compradores e comerciantes, lutamos pelo incremento na segurança do Polo Têxtil. Neste mês de dezembro, está reativado o Plantão Sulanca, aos sábados, domingos e segundas, resultando no lançamento de 1345 policiais extras e na ativação de três unidades móveis provisórias da Polícia nas feiras de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama. Esse trabalho da Secretaria de Defesa Social (SDS-PE) é uma resposta a uma solicitação do nosso mandato, realizada durante uma reunião com membros do Polo e das forças policiais.                                                     

Além do contexto pontual do fim do ano, nosso Polo de Confecções precisa ser pensado a longo prazo. É neste contexto que, no próximo dia 16, debateremos na Alepe os impactos das negociações de livre comércio entre o Brasil e países da Ásia – o continente que mais cresce economicamente no mundo. Esses acordos abrem a possibilidade nefasta de zerar as taxas de importação e coloca o comércio local em estado de alerta. A audiência pública, organizada pela Comissão de Desenvolvimento Econômico e Turismo, da qual sou presidente, será um espaço de amplo debate sobre o tema. Nosso Polo inspira cuidados hoje, pensando no futuro de todos.