AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

RC TECIDOS

RC TECIDOS

GBest SPORT

sábado, 23 de novembro de 2019

COLUNA DO POLICIAL CARDOSO





Uma pequena análise da população carcerária do Brasil.


No Brasil, existe uma população carcerária com aproximadamente 750 mil presos, fazendo do Brasil um país com a terceira maior população carcerária do mundo, devido a uma superlotação nos presídios, não temos uma forma de ter eficácia na ressocialização, e infelizmente invés de termos mais escolas, temos que construir mais presídios, por falta de uma política incentivadora com escolas de tempo integral e cursos técnicos/profissionalizantes para ajudar nossos jovens a ingressarem no mercado de trabalho. Dados concretos que tem diuturnamente aumentado devido a diversos fatores dentre eles podemos citar o desemprego, a impunidade e as mudanças nas leis que em alguns casos, determinados crimes não tem o mínimo de uma punição que leve o culpado a se arrepender de ter praticado aquela conduta.

Trazendo para nossa realidade, temos em Caruaru um presídio de pequeno porte onde segundo estudos sua população carcerária deveria ser de no máximo 100 presos, temos aproximadamente 1.500 onde já tivemos mais que isso.

Muitos jovens tem ingressado no submundo do crime, muitas vezes um caminho sem volta onde isso faz com que nosso país atinja uma meta de até 60 mil homicídios por ano, estamos em queda onde o Brasil no ano de 2019 temos uma redução desses índices em relação aos anos anteriores.

O estado não consegui implantar um modelo de ressocialização onde infelizmente mais de 70% da população carcerária, volta ao sistema após reincidirem em práticas criminosas, levando a acreditar que não existe ressocialização, acreditamos sim em uma mudança do indivíduo onde para que ele volte a conviver em sociedade, é necessário o querer por parte do socioeducando,  sabendo que todo tempo é tempo de mudança e que essa pessoa após cumprir sua pena, volte a conviver como cidadão.