PREFEITURA DE CARUARU

PREFEITURA DE CARUARU

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

sexta-feira, 23 de julho de 2021

BANDIDOS QUE BALEARAM O JORNALISTA ALEXANDRE FARIAS FORAM JULGADOS NO TRIBUNAL DO JÚRI DE CARUARU

 


Quatro indivíduos que se envolveram na troca de tiros com a Polícia Militar que resultou na grave lesão do jornalista Alexandre Farias, que coincidentemente estava passando pelo local, no bairro Alto do Moura, ter sido atingido por uma bala perdida com um tiro na cabeça, foram julgados nesta quarta-feira (21), no Tribunal do Júri do Fórum Demóstenes Veras em Caruaru.


Este caso ocorreu na noite do sábado 16 de setembro de 2017, os marginais que eram fugitivos do presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, tinham acabado de tomar um carro de assalto no bairro Caiucá e policiais do 4º BPM foram informados que eles seguiram sentido bairro Alto do Moura, uma guarnição que fazia o patrulhamento no bairro percebeu a chegada dos marginais e foi tentar prendê-los, nisso eles arrancaram com o veículo abruptamente e mesmo a via estando interditada, pois o Samu estava socorrendo uma jovem que havia sofrido um acidente de trânsito, os marginais ignoraram e atropelaram a vítima e os socorristas do Samu, saíram em fuga e em seguida caíram em um barranco no Sítio Taquara de Baixo, de onde fugiram se embrenhando pelo matagal.



Na segunda-feira, dia 18 de setembro de 2017, a Polícia Civil recebeu a denúncia de que a quadrilha estaria homiziada numa chácara as margens da estrada do Sítio Lagoa de Pedra, foi montada uma operação e quando os policiais chegaram na chácara foram recebidos por uma mulher com uma criança no colo, que alegou que não havia ninguém no interior do imóvel, porém os policiais foram surpreendidos com os marginais que estavam dentro da casa e receberam o policiamento á bala. Houve revide a injusta agressão, os policiais mesmo estando em campo aberto se ampararam detrás de algumas árvores e com o apoio do helicóptero do GTA, e durante uma intensa troca de tiros, balearam um dos bandidos Igor Alves do Nascimento, de 34 anos, que morreu no local.







Nesta quarta-feira sentaram no banco dos réus, Vitor Luiz Bezerra da Silva, vulgo “Branquinho”; Jefferson Santos da Silva, vulgo “Galeguinho ou Liliu”; Vagner Santos Figueiredo, vulgo “Negão” e José Ranieri de Oliveira Simão, num julgamento que teve início as 8 horas da manhã e só foi finalizado as 10 horas da noite. Todos foram condenados por tentativa de homicídio contra os 12 policiais civis envolvidos na operação, Vitor pegou 8 anos e dois meses de reclusão e mais um ano e meio de detenção, Jefferson foi condenado a 11 anos, três meses e 12 dias  de reclusão e ainda dois anos e 29 dias de detenção, Vagner e Raniere pegaram 14 anos e dois meses de reclusão e ainda seis anos e 15 meses de detenção.           .

Os marginais ainda serão julgados pela troca de tiros com os PMs, que balearam o jornalista Alexandre Farias e pelo atropelamento a vítima do acidente e dos socorristas do Samu. Como já estavam presos retornaram para os presídios de origem.