AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

COLUNISTA-SOCIAL FOI MORTO A FACADAS EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE E TEVE O CORPO CARBONIZADO EM TAQUARITINGA DO NORTE

 


O desaparecimento do colunista-social Danilo Nunes, de 43 anos, que estava desaparecido desde a sexta-feira da semana passada em Santa Cruz do Capibaribe, teve um desfecho trágico.

Dois irmãos adolescentes de 16 e 17 anos, foram apreendidos nesta quarta-feira (19) no bairro São Cristóvão em Santa Cruz do Capibaribe e contaram detalhes da barbárie que cometeram contra o colunista-social.

De acordo com a Polícia Civil a vítima mantinha uma relacionamento amoroso há pelo menos dois anos com esse menor de 17 anos. Danilo da Zíper, como era mais conhecido, saiu de casa na noite da sexta para se encontrar com este jovem no bairro Nova Santa Cruz. Lá o adolescente passou a extorquir o Danilo para que comprasse uma motocicleta, o colunista-social não concordou, nisso o menor mandou a localização para duas pessoas do seu convívio, o seu irmão e um primo.

Segundo os irmão apreendidos, o primo, Carlos Danilo Pereira, de 15 anos, desferiu vários golpes de faca-peixeira contra o Danilo da Zíper, que também foi estrangulado com um varal. Após o crime os criminosos apagaram várias conversas e fotos do celular do colunista-social e se livraram da faca-peixeira utilizada no crime.

Durante a madrugada do sábado o adolescentes enrolaram o corpo do Danilo em um pano, colocaram no porta-malas do veículo e seguiram para a BR 104 e numa ponte próximo ao distrito de Gravatá do Ibiapina em Taquaritinga do Norte, onde jogaram o corpo da vítima no leito do riacho, encontraram no local restos de tecidos e aproveitaram e atearam fogo no corpo da vítima.

Depois de se livrarem do corpo da vítima os adolescentes tentaram voltar para Santa Cruz com o carro da vítima, seguiam por uma estrada de terra e o motorista, Carlos Danilo, perdeu o controle da direção, capotou o veículo e morreu no local, os dois irmãos conseguiram retirar o corpo do primo que ficou preso embaixo do carro, mas ao verem que ele estava morto, se evadiram do local. O corpo só foi encontrado pela manhã, o celular da vítima ficou ao lado do cadáver do adolescente, mas alguém furtou e depois este celular foi abandonado no Sítio Jerimum.

Os dois menores ainda levaram os policiais onde teriam matado a vítima, onde foi encontrada a faca utilizada no crime e as sandálias da vítima.