AUTO VIP

AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

quinta-feira, 16 de maio de 2019

PROFESSOR FOI ASSASSINADO E TEVE O CORPO CARBONIZADO EM ARCOVERDE E A POLÍCIA CIVIL PRENDEU OS ASSASSINOS EM FLAGRANTE



Na madrugada desta quarta-feira (15/05), a população da cidade de Arcoverde recebeu abalada a notícia do possível assassinato do Professor Henry Pereira da Silva, gestor da Escola Monsenhor José Kerhle. Imediatamente, os gestores da AIS 19, Delegado Seccional Israel e Tenente Coronel Costa Júnior foram incumbidos de providenciar a elucidação do caso. Já nas primeiras horas, posteriores ao delito, a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia da 156ª Circunscrição de Arcoverde, com o apoio da Unidade Regional de Polícia Científica do Sertão do Moxotó, conseguiu amealhar informações de que o incêndio na casa da vítima (Professor Henry) havia sido criminoso, sendo realizada perícia no local, com coleta de material genético.

As equipes de investigação da Delegacia de Polícia da 156ª Circunscrição de Arcoverde, e da 19ª Delegacia Seccional de Arcoverde conseguiram coletar várias imagens de câmeras de segurança nas proximidades do local do suposto crime, identificando alguns dos supostos autores e partícipes. Rapidamente, a Polícia Civil, com o apoio do Núcleo de Inteligência da Polícia Militar (NIS 1) conseguiu localizar dois suspeitos, e com a integração que lhes é peculiar, e a frutífera parceria com o Ministério Público e Poder Judiciário da Comarca de Arcoverde, foi manejada Representação de Prisão Temporária, subscrita pelos Delegados de Polícia Israel Rubis e Marcos Virgínio, alçando êxito na decretação da prisão cautelar de ANDRÉ VILELA DOS ANJOS, e AYANNE SANTOS DE FREITAS BEZERRA, na qualidade de autor e partícipe do crime, sendo cumpridos os respectivos mandados de prisão, com menos de 24 horas da prática delituosa.


É importante ressaltar que a Polícia Civil também realizou um trabalho integrado com a Perícia Criminal, através da URPOC de Arcoverde, e do IML, buscando idealizar a dinâmica criminosa, obtendo informações de que a vítima foi asfixiada com um saco plástico, e provavelmente, golpeada com uma faca ou punhal, na altura da nuca, por trás da cabeça, bem como teve seu corpo queimado pelas chamas antes de morrer. Tais fatos foram de grande valia, visto que o corpo foi encontrado carbonizado, não sendo possível observar, preliminarmente, lesões que indicassem violência.

Os presos foram interrogados, negando a autoria do crime, tendo André Vilela dos Anjos informado que mantinha um relacionamento amoroso homoafetivo com a vítima, há cerca de cinco meses, confirmando a presença na residência minutos antes da morte daquela.

Durante a prática delituosa, foram subtraídos objetos da vítima, bem como um veículo Chevrolet Prisma, cor branca, o qual foi encontrado queimado, pela Polícia Militar, na zona rural de Arcoverde. O investigado André Vilela dos Anjos foi flagrado por um circuito de filmagens, saindo da residência da vítima com três bolsas, contendo objetos subtraídos, e usando uma bicicleta de propriedade da vítima.

A investigação criminal estima que Ayanne Santos de Freitas Bezerra tenha atuado como olheira, enquanto André e outros praticavam o crime.

O inquérito policial continua sendo instruído, através de provas técnicas, no tocante a comparação de amostras material genético encontrados na cena do crime, e em objetos descartados pelos autores, avançando para buscar os demais envolvidos que participaram deste bárbaro crime.

Tal ação integrada constitui-se como importante linha de repressão aos crimes contra a vida e contra o patrimônio, no âmbito do Estado de Pernambuco, no Pacto Pela Vida, da Secretaria de Defesa Social.