AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

ROTA PROTEÇÃO VEICULAR

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIO NAYARA SOUSA




MUITO ALÉM DO “NÃO É NÃO”

Em todo o país, o carnaval é celebrado. Boa parte da população se prepara para o feriadão. Nesse período, ocorrem diferentes alternativas para aproveitar os dias. Alguns optam por retiros promovidos por igrejas, outros pelas festas ofertadas em ruas e espaços privados. Existem também os que aproveitam para descansar com a família em suas casas e/ou viagens.

Indiferente da programação eleita, precisamos refletir sobre alguns pontos.

O Brasil é culturalmente uma nação que deprecia a imagem da mulher em diferentes formas (inclusive no próprio carnaval). A objetificação do gênero feminino é algo comum que ocorre durante todo o ano. Estando presente nos mais diversos setores da sociedade. Basta observar peças publicitárias onde se destaca venda de alguns produtos, como cervejas, por exemplo, as mulheres são estereotipadas e hipersexualizadas. Ou algumas letras de músicas, que claramente desestimam valores, e estimulam o assédio e a violência.

Gostaria de trazer a reflexão sob outro olhar. Muitas vezes, o mesmo poder público que estimula o combate ao assédio e objetificação da mulher em períodos carnavalescos, é o mesmo que patrocina atrações que cantam essa depreciação. Torna-se incoerente, pois não existe uma real triagem de ações efetivas que trabalhem em conjunto para essa reeducação social diariamente.

Que possamos refletir, o importante papel do poder público nesse processo de conscientização de respeito e quais as medidas são tomadas para que cheguemos ao dia em que comportamentos não precisem ser alvos de campanha. Que o respeito seja parte de uma vida sadia em sociedade.  

E muito mais, que possamos refletir qual o nosso papel dentro dessa construção. O que fazemos para consolidar o respeito mútuo em nosso ambiente de relacionamentos? Essa consciência não deve ser fragmentada por gênero, mas envolver todos os sujeitos que compõe a sociedade.

Desejo a todos os leitores um bom carnaval, e que o respeito seja primazia sempre!
Essa foi a minha Opinião de Mulher. Acompanhe-nos nas redes sociais. Instagram: Nayara_gsousa e Facebook: Nayara Sousa