AUTO VIP

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

ARTESÃO AZIVAN GALVÃO

LOTEAMENTO NOVO HORIZONTE

LOTEAMENTO NOVO HORIZONTE

sexta-feira, 24 de julho de 2020

COLUNA OPINIÃO DE MULHER COM A ENFERMEIRA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA NAYARA SOUSA


COLOCA “TAPUME”, RETIRA “TAPUME”

 No última Sábado (18), nossa cidade passou por uma verdadeira confusão! Sabemos que diante da pandemia, muitas atividades estão impossibilitadas de acontecer, e a Feira da Sulanca é uma delas. Porém, nos últimos dias, muitos sulanqueiros tem tentado de alguma forma vender seus produtos. A crise econômica tem atingido diretamente as famílias, onde boa parte destas, não tiveram acesso ao auxílio do Governo Federal e nem o Governo Municipal disponibilizou algum suporte financeiro.

A realidade é que a situação tem se tornado insustentável, pois foram longos dias de isolamento social em nossa cidade devido ao Coronavírus. Inúmeras famílias ganham o seu pão através da feira, e com um período tão prolongado sem o seu funcionamento, estas começaram a ter muitas dificuldades. Mesmo tendo disponibilizado a ideia da venda online, a grande maioria dos sulanqueiros não tem acesso a esse tipo de venda por vários fatores.

A confusão foi estabelecida em Caruaru, quando no Sábado a prefeitura cercou a Feira com os “tapumes”. O objetivo foi fechar completamento o acesso aos bancos e evitar que os sulanqueiros comercializassem no local. Essa atitude arbitrária gerou uma grande revolta dos trabalhadores! Pois, a atitude foi tomada sem diálogo, sem informar com antecedência as pessoas. De imediato, diversos blogs da cidade noticiaram o fato e o Deputado Estadual Delegado Erick Lessa, foi até o local, onde realizou uma Live e cobrou do poder público explicações sobre a conduta inesperada.

Para surpresa de todos, no dia seguinte, houve a retirada dos “tapumes” e liberação da estrutura da feira. O que gerou uma segunda onda de revolta pelo fato do desperdício de verba pública e falta de planejamento na tomada de decisões. Em coletiva, a gestão justificou o ocorrido como sendo um teste para avaliar se seria colocado em prática posteriormente.

Sinceramente... diante do momento caótico que estamos, fazer um “teste” dessa magnitude, é de fato, testar a nossa capacidade intelectual. O que ficou evidente foi a incapacidade de gerir uma crise e de aplicar nosso dinheiro no que realmente é importante!

Enquanto isso, faltam testes para a COVID-19 para muitos que procuram o serviço de saúde com sintomas, falta auxílio para o trabalhador, falta diálogo com o próprio povo que elegeu essa gestão. Desejamos ver mais pontes de diálogos e menos muros autoritários, pois o povo não merece esse tratamento, sobretudo, em um momento feito esse!

Essa foi minha Opinião de Mulher de hoje. Nos acompanhe nas redes sociais. Instagram: Nayara_gsousa e Facebook: Nayara Sousa.